Rio, 07 de maio de 2021

Levantamento feito pela Firjan, divulgado através da plataforma Retratos Regionais, aponta que a Baixada Fluminense criou mais de 4 mil empregos entre janeiro e março de 2021. Março, inclusive, foi o segundo mês consecutivo de saldo positivo de contratações, quando considerados todos os setores econômicos (indústria, comércio, serviços e agropecuária). Duque de Caxias (+1.163) e Belford Roxo (+602) são os municípios com os melhores desempenhos em 2021 nestas áreas.

A análise específica da indústria da região mostra que o setor gerou mais de 700 novos postos de trabalho formais no acumulado deste ano. Queimados (+229) e Itaguaí (+174) também se destacaram positivamente neste período. Os setores que impulsionaram este resultado foram a construção civil (+352) e a fabricação de produtos de minerais não metálicos (+317).

Análise estadual

A despeito das medidas restritivas de combate à pandemia adotadas em março deste ano, a indústria fluminense seguiu a tendência de alta e registrou a abertura de 3.033 postos de trabalho, tornando-se a segunda maior contratante neste que foi o terceiro mês consecutivo de mais admissões do que demissões. A análise, feita pela Firjan a partir da plataforma Retratos Regionais, revela ainda que a tendência de alta se repetiu em todos os demais grandes setores: Serviços (+7.595), Comércio (+2.270) e Agropecuária (+199), num total de 13.097 novos postos de trabalhos formais em todo o estado.

No setor de Indústrias, segmentos ligados à Construção Civil (+1.164), à Manutenção, Reparação e Instalação de Máquinas e Equipamentos (+762) e à Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios (+510) impulsionaram a geração de empregos. Já no setor de Serviços, as maiores contratações ocorreram nos segmentos de Serviços de Catering, Bufê e Outros Serviços de Comida Preparada (+1.464), Limpeza em Prédios e em Domicílios (+1.252) e Atividades de Atendimento Hospitalar (+731).

Por outro lado, após seis meses consecutivos de recuperação, o segmento de Restaurantes e Outros Estabelecimentos de Serviços de Alimentação e Bebidas voltou a demitir em março (-1.117), diante de novas restrições impostas para frear o contágio da COVID-19 no estado. No período de 12 meses desde abril do ano passado a março deste ano, os setores de Serviços (-57.217) e Indústria e Construção (-5.791) ainda acumulam perdas. Já o Comércio (+2.075) e a Agropecuária (+29) apresentaram resultados positivos nessa comparação, indicando que as contratações superaram os desligamentos no acumulado do período de abril de 2020 a março de 2021.

“É provável que em abril, quando houve um período maior de restrições, haja uma redução na velocidade de recuperação. Mas a gente entende que essa velocidade é mais constante, uma vez que boa parte das interrupções já não acontece mais. Então a tendência hoje é que tenhamos uma normalização nas contratações nos próximos meses”, disse Jonathas Goulart, gerente de Estudos Econômicos da Firjan.

No saldo geral de vagas abertas, 74 dos 92 municípios fluminenses apresentaram geração líquida de emprego formal em março de 2021, frente a apenas 31 cidades que estavam contratando um ano antes, quando eclodiu a pandemia no país.

Plataforma Retratos Regionais

A plataforma Retratos Regionais tem como base o saldo de empregos formais disponibilizados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. Em painel setorial são disponibilizados dados específicos dos setores industriais.

Em painel regional, que também permite a busca por município, é apresentado o cenário geral de empregos, incluindo todos os grandes setores. A plataforma pode ser acessada através deste link: www.firjan.com.br/retratosregionais.

FIRJAN