Em 1989, no interior da Sibéria, geólogos trabalhavam abrindo um enorme buraco de 14,4 quilômetros de profundidade, quando as brocas começaram a rodar muito depressa indicando que tinham chegado a uma enorme caverna.

O responsável pelo projeto Dr. Dimitri Azzacov afirmou: “Os sensores térmicos acusaram um aumento brusco na temperatura, descemos então um microfone projetado para detectar os sons das placas tectônicas em movimento, mas o que ouvimos foi horrível e assustador!”

Cientista ateu da ex URSS em 1989 descobre cientificamente o inferno - Dr. Dimitri Azzacov
Cientista ateu da ex URSS em 1989 descobre cientificamente o inferno – Dr. Dimitri Azzacov

“A princípio achamos que o equipamento podia estar com defeito, ao checá-lo constatamos que estava em perfeitas condições e que o som assustador vinha lá de baixo… Eram gritos de dor e agonia, gritos de milhares de homens e mulheres juntos, incontáveis seres humanos todos gritando ao mesmo tempo, foi horrível.”

Depois do ocorrido Dr. Azzacov disse: “Sou comunista, não acredito na bíblia, nem no céu, mas como cientista eu agora acredito no inferno… ele é real e existe mesmo! Ficamos chocados com esta descoberta e hoje posso afirmar com toda certeza que nós perfuramos os portões do inferno!”

Veja o vídeo abaixo a respeito do assunto:

 

 

 

Faça o seu comentário