Especialista aponta como reconhecer sintomas e tratar as principais enfermidades ligadas à estação mais fria do ano

Chega o frio e com ele a temporada de gripes e resfriados. Basta que as temperaturas caiam um pouco para parecer quase impossível passar a estação fria sem ser afetado com uma tosse ou um nariz entupido. E as crianças são especialmente afetadas pela onda de doenças respiratórias que o inverno traz.

Bronquiolite

Causada principalmente pelo vírus sincicial respiratório,que pode ser transmitido pelo ar ou por contato com objetos contaminados. É uma das doenças que, no inverno, mais acometem bebês abaixo dos dois anos. Entre os sintomas, estão dificuldade para respirar, obstrução nasal, coriza e tosse. A partir do quinto ou sexto dia, é comum haver um agravamento do quadro, aumentando a produção de secreção, cansaço e causando um chiado na respiração. Seu tratamento inclui inalação, lavagem nasal, hidratação e, se a criança for internada, oxigenioterapia e fisioterapia respiratória. Se não tratada corretamente, pode causar infecções secundárias e insuficiências respiratórias.

Gripes e resfriados

Também causados por vírus, em geral do tipo influenza, possuem um período de incubação de cerca de cinco dias. “Após isso, a criança começa a desenvolver secreção nasal, tosse, febre, mal estar, falta de ar e vermelhidão das mucosas”, explica o médico. A depender do vírus e da imunidade da criança, a gripe pode evoluir para uma insuficiência respiratória. O tratamento é feito por meio de medidas de suporte como xaropes expectorantes, analgésicos, antitérmicos e, se necessário, broncodilatadores e inalações. No caso de gripes severas, o uso do medicamento Tamiflu é importante.

Pneumonia

Apesar de ser mais comum no inverno, o especialista alerta que é possível contrair essa doença em qualquer época do ano. É causada, na maioria das vezes, por bactérias, mas vírus e fungos também podem desencadeá-la. Severa, a pneumonia envolve sintomas como tosse, dificuldade para respirar, febre e dor no tórax (principalmente em respirações profundas). Pode ocorrer produção de catarro mucoso ou purulento. Quando causada por bactérias, a pneumonia pode ser tratada com antibióticos, inclusive por via intravenosa, em caso de internação. Para prevenção, além dos cuidados básicos relativos a qualquer doença respiratória, existem vacinas pneumocócicas que podem ser aplicadas na infância e combatem as bactérias causadoras da doença.

Bronquite

Consiste em um quadro inflamatório dos brônquios. Pode ser do tipo aguda (as crises duram cerca de duas semanas) ou crônica (crises se estendem por meses, com piora no período da manhã). É desencadeada tanto por vírus, bactérias e outros fatores externos, como poluentes. Em ambos os tipos de bronquite, o principal sintoma é a tosse, que pode ser seca ou com secreção (sendo esta última característica da bronquite crônica). Há também falta de ar, respiração chiada e, com menos frequência, febre e calafrios. Se do tipo aguda, a bronquite pode ser tratada com analgésicos, vaporizadores e descongestionantes. Quando crônica, o uso de broncodilatadores, mucolíticos, antibióticos e anti-inflamatórios só deve ser feito sob orientação médica.

Fonte: Claudia

Faça o seu comentário