O uso indiscriminado de paracetamol para alívio de dores e febre após a vacinação contra Covid-19 pode ocasionar outras adversidades graves, como hepatite medicamentosa e até morte. O alerta partiu da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A agência notificou que o paracetamol deve ser usado com cautela, “sempre observando a dose máxima diária e o intervalo entre as doses, conforme as recomendações contidas na bula, para cada faixa etária”.

Além disso, a Gerência-Geral de Monitoramento de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária recomendou aos profissionais de saúde e à população que notifiquem à Anvisa os casos de reações após o uso do medicamento.  A ocorrência deve ser registrada por meio do VigiMed, sistema da Anvisa destinado às notificações tanto por cidadãos quanto por serviços de saúde  

Por outro lado, as suspeitas de desvios de qualidade (queixas técnicas) referentes a fármacos em instituições de saúde devem ser registradas por meio do Notivisa. As reações mais observadas após a vacinação contra Covid-19 são: febre e dores de cabeça e no corpo, que variam de leves a moderadas. Inclusive, os sintomas podem desaparecer em alguns dias

Uso correto 

Segundo a Gerência-Geral de Monitoramento, o paracetamol vem sendo utilizado para aliviar sintomas pós-vacinais. Entretanto, a utilização incorreta pode piorar a situação quando o uso é prolongado ou acima da dose máxima diária.

Isso porque para qualquer medicamento há um risco associado ao seu consumo. Sendo assim, é fundamental que o produto seja utilizado de forma correta. Além do alerta da Anvisa, confira abaixo as informações sobre a dose máxima diária de paracetamol para cada faixa etária, conforme a bula do medicamento: 

  • Adultos e crianças acima de 12 anos: dose máxima de 4 gramas em um dia.;
  • Crianças entre 2 e 11 anos: não devem ser utilizados mais de 50-75 mg/kg em um dia (24 horas);
  • Para crianças abaixo de 11 kg ou 2 anos ou com menos de 20 kg: consulte o médico antes de usar.

Para mais informações sobre as recomendações de uso dos medicamentos, consulte a bula disponível no Bulário Eletrônico da Anvisa

Fonte: Agência Brasil