Juntos, os 10 pilotos mais valorizados do grid de 2014 vão embolsar R$ 334 milhões

A rotina de um piloto de Fórmula 1 é árdua: treinos no simulador, testes na pista, maratonas de exercícios físicos. Mas toda essa dedicação é recompensada com alguns dos maiores salários do esporte mundial. Este ano, Fernando Alonso e Lewis Hamilton receberão, cada um, nada menos que 20 milhões de euros (R$ 65 milhões) para acelerar fundo nos circuitos mais famosos do planeta. Na temporada de estreia pela Williams, após oito anos com titular na Ferrari, Felipe Massa também vai embolsar uma bolada para guiar a nova FW36: R$ 13 milhões.

De acordo com a lista do site “The Richest”, os 10 pilotos mais bem pagos da F-1 em 2014 vão receber, juntos, a impressionante quantia de R$ 334 milhões. Além disso, os principais competidores do grid poderão aumentar ainda mais essa soma com os bônus oferecidos como estímulo por boas posições nas corridas. Confira a seguir um comparativo dos salários pagos este ano com os vencimentos de 2013, e saiba quem são os pilotos mais valorizados da principal categoria do automobilismo mundial:

info_salarios_f1_2013-2014-d
Saiba mais sobre os 10 pilotos mais bem pagos da F-1:

grosjean

10. Romain Grosjean

A primeira vitória na F-1 ainda não aconteceu, mas Romain Grosjean foi um dos destaques da última temporada após abandonar o apelido de “maluco da primeira volta” e subir ao pódio em seis corridas. Mais cauteloso, o piloto francês de 27 anos caiu nas graças da Lotus e vai receber 1,5 milhão de euros (R$ 4,8 milhões) em 2014 – um aumento de R$ 1,6 milhão em relação ao ano passado.
 
 
 
perez

9. Sergio Pérez

Apontado como um dos grandes talentos da nova geração de pilotos, o mexicano Sergio Péreznão conseguiu criar vínculos na McLaren, e acabou deixando a escuderia britânica após uma única temporada. Mas o piloto de 24 anos não tem do que reclamar na Force India, sua nova casa. Em seu quarto ano na F-1, “Checo”, como é carinhosamente chamado pelos fãs, vai faturar 2 milhões de euros (R$ 6,5 milhões).
 
 
 
ricciardo

8. Daniel Ricciardo

Após duas temporadas como titular da STR, equipe co-irmã da RBR, o australiano Daniel Ricciardo foi promovido e substitui o compatriota Mark Webber como companheiro do tetracampeão Sebastian Vettel. Além de guiar por uma equipe com grande retrospecto de vitórias, Ricciardo sentirá uma grande diferença em sua conta bancária. Após receber “módicos” 400 mil euros (R$ 1,3 milhão) para correr em 2013, o piloto de 24 anos vai embolsar nada menos que 2,5 milhões de euros (R$ 8,1 milhões) pelo trabalho na nova escuderia.
 
 
 
massa

7. Felipe Massa

Este ano, o piloto brasileiro se prepara para um novo capítulo da carreira. Após correr por oito anos como titular da Ferrari, Massa vai liderar o projeto de reestruturação da outrora vencedoraWilliams. A equipe inglesa quer retomar a competitividade do passado, e aposta todas as fichas na experiência do paulista de 32 anos. Para a nova empreitada, o vice-campeão mundial de 2008 vai receber 4 milhões de euros (R$ 13 milhões).
 
 
 
raikkonen

6. Kimi Raikkonen

Dono do último título do Mundial de Pilotos da Ferrari, conquistado em 2007, o “Homem de Gelo” é uma aposta de risco da escuderia italiana. A estratégia de voltar aos tempos áureos com uma dupla de campeões mundiais divide a opinião dos fãs, mas o novo companheiro de Fernando Alonsonão tem do que reclamar por enquanto. O finlandês vai ganhar 10 milhões de euros (R$ 32,5 milhões) – um aumento de R$ 22,8 milhões em relação a seu último salário na Lotus.
 
 
 
rosberg

5. Nico Rosberg

O desempenho consistente de Nico Rosberg, que conseguiu ofuscar o heptacampeão Michael Schumacher em sua segunda passagem pela F-1, deixa o alemão em posição confortável dentro da Mercedes. O filho de Keke, campeão de 1982, venceu duas corridas no ano passado, e deve embolsar 11 milhões de euros (R$ 35,7 milhões) para defender a “Flecha de Prata” nas pistas pela quinta vez.
 
 
 
button

3. Jenson Button

Campeão de 2009, Jenson Button é o competidor mais experiente do atual grid da Fórmula 1. O britânico de 34 anos fez sua estreia na categoria a bordo de uma Williams, no GP da Austrália de 2000. Desde então, o piloto da McLaren construiu uma das carreiras mais sólidas do automobilismo mundial. O resultado de tanta dedicação vem em forma de um dos salários mais generosos da lista: 16 milhões de euros (R$ 52 milhões), empatado com o alemão Sebastian Vettel.
 
 
 
vettel

3. Sebastian Vettel

A cada recorde quebrado e novo título conquistado, Vettel vê o saldo de sua conta bancária crescer. Após se tornar o tetracampeão mais jovem da história da F-1, o alemão de 26 anos mereceu um aumento de R$ 13 milhões para correr a temporada 2014. Em boa hora. Recentemente, o prodígio da RBR se tornou pai pela primeira vez, e terá uma série de gastos extras para seu salário de 16 milhões de euros (R$ 52 milhões).
 
 
 
Hamilton

1. Lewis Hamilton

Após se tornar campeão mundial com apenas 23 anos, em 2008, Lewis Hamilton se tornou um dos pilotos mais respeitados da nova geração. Primeiro negro a faturar o título da F-1, o britânico decidiu trocar a McLaren pela Mercedes no final de 2012, e parece não ter se arrependido da escolha. Quarto colocado no ano passado, Lewis vai receber 20 milhões de euros (R$ 65 milhões) por sua segunda temporada com o time alemão.
 
 
 
alonso

1. Fernando Alonso

A história do bicampeão mundial com a Ferrari chega ao quinto ano em 2014. A expectativa pelo primeiro título com o time de Maranello é ainda maior por causa das novidades que prometem sacudir a F-1. Se o espanhol precisar de mais motivação, só terá que conferir o saldo da conta bancária. Aos 32 anos, Alonso vai embolsar o mesmo que o rival Hamilton para acelerar fundo a nova F14T: 20 milhões de euros (R$ 65 milhões).

Faça o seu comentário