Piraí aparece pela primeira vez na lista de casos confirmados da doença

O número de mortes causadas pela febre amarela no estado aumentou para 38 neste ano, segundo o último boletim epidemiológico divulgado pela secretaria estadual de Saúde, na noite desta quinta-feira. A pasta ainda informou que são 85 pessoas contaminadas pela doença.

O nova morte por causa da febre amarela foi registrada em Piraí, no Sul Fluminense. Os municípios Valença, no interior do estado, e Angra dos Reis, na Costa Verde, são os que mais registraram a doença, juntos totalizam 33 casos. 

Os registros estão distribuídos nas cidades de Teresópolis (12 casos, sendo 6 óbitos), Valença (18 casos, sendo 6 óbitos), Nova Friburgo (7 casos, sendo 3 óbitos), Petrópolis (1 caso), Miguel Pereira (1 caso, sendo 1 óbito), Duas Barras (5 casos), Rio das Flores (3 casos, sendo 2 mortes), Vassouras (2 casos, sendo 1 óbito), Sumidouro (6 casos, sendo 2 óbitos), Cantagalo (5 casos, sendo 3 óbitos), Paraíba do Sul (1 caso, sendo 1 óbito), Carmo (2 casos, sendo 1 óbito), Maricá (2 casos, sendo 1 óbito), Angra dos Reis (15 casos, sendo 9 óbitos), Engenheiro Paulo de Frontin (1 caso, sendo 1 óbito), Paty do Alferes (1 caso), Mangaratiba (1 caso) e Piraí (um óbito)

Dez municípios têm casos confirmados de febre amarela em macacos: Niterói, Angra dos Reis, Barra Mansa, Valença, Miguel Pereira, Volta Redonda, Duas Barras, Paraty, Engenheiro Paulo de Frontin e Araruama com um caso de epizootia em cada cidade.

A secretaria de Saúde ressalta que os macacos não são responsáveis pela transmissão da doença. Ao encontrar macacos mortos ou doentes (animal que apresenta comportamento anormal, que está afastado do grupo, com movimentos lentos etc.),a população deve informar o mais rápido possível às secretarias de Saúde do município ou do estado do RJ.

Faça o seu comentário