As doenças gengivais são umas das causas mais comuns que levam as pessoas ao consultório odontológico. Isso pode ocorrer devido a fortes dores, inchaços na região ou até mesmo sangramentos.

Mas não se preocupe! Essa doença tem tratamentos eficientes e consideravelmente simples quando comparado a outros da área da saúde odontológica. Ainda assim, é importante que as visitas regulares ao dentista sejam realizadas para garantir uma saúde bucal em dia, ou seja: livre de dores, desconfortos e também de doenças.

As doenças gengivais podem ser duas: a gengivite e a periodontite. Confira a seguir o que é cada uma, assim como quais são os seus tratamentos e como evitá-las.

O que é a gengivite?

A gengivite é uma doença em seu estágio inicial, em que há uma inflamação e infecção da gengiva. Isso ocorre por conta da placa bacteriana que é uma camada pegajosa de partículas de alimentos e bactérias que se formam nos dentes e nos sulcos gengivais (espaço entre o dente e a gengiva).

Quando a placa bacteriana não é retirada, ela produz toxinas ácidas que causam a irritação da mucosa da gengiva. Nesse estágio, a doença pode ser totalmente reversível, uma vez que não afeta os ossos e os tecidos de sustentação dos dentes.

Dessa forma, é importante que o dentista do plano de saúde odontológico seja visitado assim que você perceber que algo está errado com a sua saúde bucal. Os principais sintomas são:

Inchaço na gengiva;
Vermelhidão;

Possíveis sangramentos, principalmente durante a escovação e no uso do fio dental;
Afastamento entre o dente e a gengiva, por conta dos bolsões que a doença causa;
Mau hálito persistente ou gosto ruim na boca.

Caso você perceba qualquer um desses sintomas, não pense duas vezes em procurar um consultório odontológico, pois a prevenção é simples: para a retirada da placa bacteriana é necessário que a higienização diária seja feita da maneira correta.

É importante escovar os dentes com uma escova de cerdas macias para não danificar o esmalte dentário e não irritar ainda mais a gengiva. As escovações devem ser feitas pelo menos três vezes ao dia, priorizando para que ocorram após as principais refeições, garantindo que todas as partículas de alimentos sejam devidamente retiradas.

Entretanto, apenas a escovação não é o suficiente para retirar a placa bacteriana. Para que isso ocorra, também é essencial o uso diário do fio dental. Isso porque por mais eficiente que a escovação seja, ela não consegue alcançar todos os lugares da boca.

O fio dental, além de retirar os restos dos alimentos que ficam entre os dentes, quando usado de maneira correta também ajuda na retirada da placa bacteriana, garantindo melhor saúde bucal.

O que é a periodontite?

A periodontite é o estágio mais avançado da gengivite, quando a doença não é tratada da maneira correta e suas prevenções no consultório odontológico não são realizadas.

Como podem surgir alguns “bolsões” entre os dentes e a gengiva no primeiro estágio da doença sem o seu devido tratamento, esses bolsões podem aumentar e chegar no estágio avançado da doença.

Diferente da gengivite, a periodontite atinge todos os tecidos ao redor do dente que promovem a sua sustentação. Nesse estágio, os ossos de apoio e as fibras que seguram os dentes estão irreversivelmente danificadas, mesmo com acompanhamento do profissional do consultório odontológico.

No caso de periodontite avançada, os ossos de apoio estão sendo totalmente destruídos, o que pode causar o amolecimento dos dentes e, eventualmente, a sua perda.

Por esse motivo, é essencial que ao primeiro sinal o profissional do consultório odontológico seja visitado. Caso precise encontrar um novo dentista, é possível buscar na internet, uma vez que esses profissionais estão cada vez mais inseridos no marketing odontológico.

Dessa forma, é possível encontrar um profissional de qualidade, assim como garantir um bom atendimento.

Esse estágio da doença também é causado pela placa bacteriana e, principalmente, por ela não ser removida adequadamente. Além disso, essa placa quando endurece se transforma no tártaro, que é uma camada endurecida que se forma nos dentes e na gengiva.

Diferente da placa bacteriana, o tártaro pode ser retirado apenas no consultório odontológico, através de uma limpeza especializada que o dentista deve realizar. Essa raspagem supragengival é a única maneira de remover essa placa calcificada.

Isso mostra a importância de realizar consultas regulares no consultório odontológico, para que a prevenção dessas doenças sejam realizadas. Isso porque a placa bacteriana não causa a gengivite — e, posteriormente, a periodontite — assim que se forma, mas devido ao seu acúmulo.

Sendo assim, se as consultas e as limpezas forem realizadas dentro do período de uma vez a cada seis meses, a probabilidade de alguma doença gengival atingir a sua boca são mínimas.

Da mesma forma, é essencial a escovação três vezes ao dia e, principalmente, o uso do fio dental. Essa é a maneira mais eficiente de garantir a retirada da placa bacteriana e evitar que doenças se formem em sua boca.

Por Tarsila Serafim

 

 

Faça o seu comentário