Incra quer levar agroecologia para assentamentos agrários

O objetivo é usar os conhecimentos produzidos pela Embrapa para dentro dos assentamentos da reforma agrária

Uma missão técnica formada por profissionais que atuam na área de assistência técnica e do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) visitará, na próxima sexta-feira (25), a sede da Embrapa Agrobiologia, localizada em Seropédica (RJ). O objetivo é conhecer pesquisas e programas de capacitação com ênfase na agroecologia.

O encontro é resultado da reunião entre a presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária  (Incra), Maria Lúcia Fálcon, e o chefe-geral da Embrapa Agrobiologia, Gustavo Ribeiro Xavier, que aconteceu na última quarta-feira (16), no Rio de Janeiro (RJ).

No encontro foram discutidas a definição de estratégias de transferência de tecnologia e também formas de levar o conhecimento produzido pela Embrapa para dentro dos assentamentos da reforma agrária.

A proposta é retomar o diálogo iniciado há um ano entre a Superintendência do Incra no Rio de Janeiro e a unidade da Embrapa localizada em Seropédica e construir um projeto de parceria na perspectiva nacional. “Queremos unir forças e desenvolver uma agenda que leve em conta o desenvolvimento rural com geração de renda e alimentação saudável”, definiu Maria Lúcia.

Manaus

Boa parte dos alimentos frescos consumidos em Manaus vem de outros estados e a ideia é produzir no próprio município, diminuindo o custo para o consumidor final.

Por se tratar de área cercada de floresta, rios, igarapés e rica biodiversiade, a produção precisa ser feita em bases agroecológicas, sem uso de veneno.

Além de discutir um programa de capacitação de curta duração, voltado para a produção de alimentos e implantação de quintais produtivos para produtores locais, o Incra também discutirá, com a Embrapa Agrobiologia, parcerias para a realização de um mestrado profissional e cursos na modalidade Ensino a Distância. A missão é coordenada pela superintendente do Incra no Amazonas, Maria do Socorro Feitosa.

De acordo com Gustavo Ribeiro Xavier, a Embrapa Agrobiologia possui um histórico de produção orgânica e agroecológica, com forte atuação na capacitação e transferência de tecnologia.

A unidade possui uma área de 70 hectares que é referência internacional na demonstração da produção agroecológica. Conhecido como Fazendinha Agroecológica, o local é palco de diversos cursos, entre os quais, o mestrado profissional em agricultura orgânica, que foi citado como um dos exemplos de capacitação podendo ser direcionada a servidores do Incra.

Ofertado em parceria com a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), o curso integra conhecimentos teóricos e práticos relativos à condução de sistemas orgânicos de produção.

Por meio das aulas, o aluno se qualifica a subsidiar a formulação, o planejamento e a execução de políticas públicas, especialmente a nível local, que favoreçam a expansão de sistemas de produção baseados no princípio da agricultura orgânica, aplicados principalmente à produção agrícola de base familiar.

Embrapa Seropédica

Fonte: Incra

Faça o seu comentário