” Na Europa, após a conquista de direitos iguais para homossexuais, e, em alguns países, para transgêneros, outro movimento parece ganhar força. A teriantropia seria um passo adiante na questão transgêneros. Pessoas poderiam em nome da “construção” da sua identidade, descobrir-se um animal. Já existe até uma nomenclatura para isso: TRANSESPÉCIE. ”

Pois é. Que coisa mais sentido que existe. Me deparei com essa reportagem quando abri, como de costume o site de notícias Gospel Prime. Isso  atesta o retrocesso mental e ideológico da sociedade. Transgenero de espécie… Como diria minha vó: “Estão procurando chifre na cabeça de cavalo”.  O caso mais recente a receber atenção é o de uma mulher na Noruega chamada Nano. Aos 20 anos ela acredita que “nasceu na espécie errada” e afirma que, na verdade, é uma gata presa em um corpo humano. Uma “mulher gata” de verdade e fora das histórias de super-heróis. Ela mia, anda de quatro e diz que ja tentou caçar ratos. E não para por aí. Usa orelhas  e rabo falsos, e afirma que possui audição e visão  aguçados, como de um felino.

Isso é totalmente patológico. Distúrbio. Mas a culpa recai sobre a genética. A jovem afirma que é um transtorno hormonal. Bom, não existe ordem cromossômica homossexual, que dirá animal!  A genética é o ramo da ciência que tem autoridade para dizer se alguém nasce ou não homossexual, e se nasce animal ou não. Não existem genes homossexuais ou travestidos de resquício animal.   E tudo que possamos falar, é visto como preconceito, como intolerância, antiquado e fundamentalista. Se formos aprovar todas estas questões daqui pra frente, a sociedade se autodestruirá Não haverá mais parâmetros para nortear uma sociedade. Mas de fato, deve existir parâmetros para estabelecer limites   entre a sanidade e a esquizofrênia; entre a sensatez e a patologia social; entre o normal, natural e o anormal e antinatural.

Como psicanalista, percebo que o povo precisa entender qual é o papel da psicanálise, da psicologia e   da psiquiatria. Se permanecermos dessa maneira, veremos homens querendo ter filhos com animais, ou  filhos e filhas querendo casarem-se com cachorros, macacos, gatos, cavalos e etc. A galera fica tensa, irritada, se sente perseguida, se sente e também se mantem na hostilidade, tipo, quase  uma esquizofrenia paranoide. E na verdade só estamos tentando defender os valores tradicionais. A família como célula máter da sociedade.

Bom, eu ainda nao tenho filhos. Mas pretendo. E sinceramente tenho medo de inseri-los numas sociedade avessa como a nossa. O certo virou errado e o errado esta sendo enaltecido. Estamos transitando de um modelo judaico/cristão para um modelo humanista/ateísta. Cuidado, porque mente aberta demais, o cérebro pode cair.

Um abraço e que Deus nos abençoe!

J.C Marques

escolha gay