Tudo sem o seu valor. Até aquilo que dizemos ter  nenhum valor, “nada” ja é um valor em si. O “zero” também é uma nota. Então, dessa maneira , nao há nada que  esteja desprovido de algum valor. Claro, e óbvio que, existem aquelas coisas que possuem um valor alto, altíssimo, e até mesmo, algo inestimável. E essas coisas de um valor grandioso, devem ser bem guardadas, preservadas, cuidadas, para que nao se perca, e não venhamos depois ficar tristes. Pois é, possuir coisas de alto valor dá um certo trabalho, pois exigem tempo, investimento, paciência, atenção, zelo, amor, cuidado… E muitas pessoas perdem coisas valiosas na vida porque não souberam administrar bem. Perderam de bobeira. Ficaram destituídos da coisa preciosa por displicência.

Não posso deixar de falar do modo como as coisas estão perdendo o seu valor. Digo sobre a essência das coisas. O que desde sempre foi e é, e sempre será valioso, está sendo reputado como antiquado, retrógado, atrasado, “coisa do passado”, e tudo isso em detrimento dessa caracterização ignorante e midiática,  que faz com que essa coisa  de essência vazia e desprovida de valor, seja  enaltecida cada vez mais. É uma confusão lastimável. Um exemplo, bem claro, é a hipervalorizarão do “ter”, do “possuir”, do ” poder”, e a hiperdegradaçao  do  ser, da essência natural das coisas. Uma inversão  de valores.

Mas, você ja parou pra pensar  o que realmente é mais importante pra vida de um homem?  O que de fato tem seu valor inestimável, incalculável, de maneira que o homem necessite pra própria sobrevivência? Já parou pra pensar nisso? Creio que devamos nos questionar sobre essas coisas de vez em quando, haja visto que vivemos hoje como se fôssemos viver para sempre, sem dar a devida atençao naquilo que de fato norteia nossa vida.

Família?  Amigos? Saúde? Dinheiro? Patrimônio?É, são sugestões razoáveis. Essas são sem dúvida coisas importantes e que sem as quais não se vive. São elementos  necessários para o progresso e desenvolvimento humano. Mas creio que podemos nos aprofundar mais. E digo que, para mim,nenhuma delas é aquilo de extrema importância para o homem.

Será a própria vida, o próprio fôlego  a coisa mais importante? Será o ar? O universo ? O cosmos? Será a água e a Terra os elementos de maior importância? Não. Ainda não. Existe ainda uma coisa que excede a tudo isso.

Alguns, embebidos na poesia, e repletos de amor, diria que é  o próprio amor o maior bem. O amor, diriam uns, é a fonte de energia doce e sensata que um homem poderia ter. O amor torna a sensibilidade externa , o afeto e transcende a compaixão. O amor acaba com as guerras, com a fome e com qualquer outro tipo de mazela.

Uma fé? Deus?  Nossa! Sem comentários! Um povo sem fé? Que coisa mais triste.  Um ser que não acredita em Deus? Que secura de alma! Realmente esses são elementos inestimáveis. Norteiam a conduta, a moral, o caráter, o estilo de viver e pensar de um povo, de uma nação. Viver sem esses elementos é querer negar a própria existência. Mas, continuemos a mergulhar na divagação. Quero mostrar um elemento que de fato é imprescindível para a vida do homem. Algo que verdadeiramente é vital para a existência plena da vida de um indivíduo.

O que então de fato João, é a coisa mais importante do mundo? Qual é esse elemento que supera em excelência a todos os anteriores? Vou dizer agorinha amigo leitor. Vou só pegar uma xícara de café. Deu vontade aqui. Está bem cedo e frio. Bem chuvoso.  Pronto. Voltei. Bom, onde estávamos? Ah sim, você quer saber qual é a coisa mais importante do mundo!

A coisa de maior importância se chama: CONSCIÊNCIA

Isso mesmo, consciência! É ela que determina seu estado de sensatez. Ela é a responsável pelas suas percepções e pelas concatenações de pensamentos. Sem ela, você não consegue discernir nada. Sem ela sua mente apenas vegeta e sua alma dorme na imensidão da ignorância. Sem a consciência o homem perde o contato com a realidade dele próprio. Sem a consciência  o corpo se torna mecanicista, sem sentimentos e sensações. Sem consciência  o homem não enxerga as cores da vida, mas vive no “preto e branco” interior vazio e caótico. Sem a consciência nao há entendimento do passado, e da história do homem.

Mas, o que afinal é a consciência? É a capacidade de estar ciente em um dado momento, pleno de suas atividades mentais e cognitivas. É estar antenado para com as coisas e os assuntos do cosmos. É a cosmovisão da vida. É o entendimento e aceitação plena da natureza caída e pecaminosa. É o reconhecimento daquilo que é certo e errado, mesmo as mais difíceis de se identificar. É o viver com vontade própria, com sentimentos próprios, sem indução alguma. A consciência  faz com que eu examine a mim mesmo todos os dias. A consciência faz com que eu enxergue a realidade como ela é. É a minha realidade em jogo e em transição de pensamentos e atitudes. A consciência é o ser sincero e transparente a todo instante com tudo e com todos.

Bom, sem consciência o indivíduo não saberia lidar com a família. Não saberia o que é a família. Sem a consciência, dinheiro e ervilha seriam a mesma coisa. Sem a consciência, não haveria paz. Sem  consciência, como amar? Como perdoar? Sem consciência não haveria a capacidade de distinguir amigo, de colega e de conhecido. Sem consciência a pessoa não preserva a saúde, e ate acaba de matando. E o mais trágico, sem a consciência, o coração humano ficaria incapaz de produzir fé. Deus não existiria.

Bom, é isso ai meu povo. Consciência, viu? Busque isso! Que então, nossa alma esteja viva, repleta de sensações que permitem-nos tocar com clareza o mundo lá fora. A não ser que você esteja “INCONSCIENTE”.

Um abraço e que Deus nos abençoe!

J.C.Marques

consiente subsonciente