Conheça as características das pessoas com alta inteligência emocional

0
225

Uma vida equilibrada não depende somente de aspectos físicos, mas também da saúde mental e os fatores que alteram comportamentos.

A inteligência emocional é a capacidade de gerir emoções, identificando-as de modo que as decisões sejam conscientes. Isso evita problemas de relacionamento, medos que paralisam e atitudes constrangedoras. A busca pelo sucesso pessoal ou profissional exige um constante aprimoramento da razão. 

Para transmitir confiança é necessário ter autocontrole, falar e agir com sabedoria. Expressar sentimentos genuínos, demonstrando sinceridade, vai ajudar você a se sentir mais confiante. Ser emocionalmente inteligente não significa ter apenas pensamentos bons, mas administrar sensações ruins, afastando a insegurança.

Confira os sinais de que você já desenvolveu um bom nível de inteligência emocional 

Você consegue se sentir bem sozinho 

Depender dos outros por qualquer motivo, para obter aprovação ou por ter medo de assumir responsabilidade reflete imaturidade. Portanto, a sua autonomia e entendimento de que ficar sozinho é bom às vezes, faz bem para a autoestima. 

 Você consegue se colocar no lugar do outro

A empatia afasta a arrogância e ajuda a resolver conflitos. Quando a perspectiva do outro é levada em consideração, a compreensão na hora de solucionar um problema fica mais clara. 

Você prefere observar e pensar antes de agir 

Quem toma decisões por impulso, além de se arrepender, tem o risco de afetar outras pessoas despropositadamente. Quando a reflexão faz parte do dia a dia, os sentimentos de culpa e frustração com certeza serão evitados. 

Você sabe lidar com imprevistos 

Perder o horário, machucar uma parte do corpo ou até mesmo bater o dedo na quina da porta. As pessoas que sabem focar a atenção no que importa e afastam o pessimismo conseguem realizar suas tarefas tranquilamente.

Não meta os pés pelas mãos!

Não importa o tamanho do seu talento ou das suas conquistas, alguns comportamentos podem mudar a forma como as pessoas o vêem e deixam uma impressão negativa para sempre. Todos já ouvimos falar sobre (ou presenciamos) pessoas que cometeram loucuras no trabalho. Mas, na verdade, não é necessário jogar uma cadeira pela janela ou pedir demissão no meio de uma apresentação para causar danos irreparáveis à carreira. Muitas outras coisas podem acabar com a carreira de pessoas honestas e esforçadas. Erros involuntários quase sempre trazem consequências implacáveis.

Também não é preciso ter um momento especial e vergonhoso em que você se dá conta de que meteu os pés pelas mãos. Coisas pequenas podem se acumular com o tempo e arruinar sua carreira tanto quanto um grande único erro (ou até mais). Ter autoconsciência é uma habilidade essencial no ambiente de trabalho. Ela é a base da inteligência emocional, competência que é responsável por 58% do desempenho profissional, segundo uma pesquisa do TalentSmart. 

1. Prometer muito e entregar pouco

É tentadora a ideia de prometer mundos e fundos a colegas e clientes, especialmente quando você é honesto, esforçado e acredita que é capaz. O problema é que não há vantagem em criar uma pressão adicional que pode fazer com que você fique mal visto. Se você promete executar algo rápido demais e perde o prazo final por pouco tempo, pode imaginar que ainda fez um bom trabalho por ter sido ágil. No entanto, a partir do momento em que você promete algo a alguém, ele espera exatamente o que foi prometido. Você acaba deixando uma péssima impressão, o que é uma pena, já que teria feito o mesmo trabalho de qualidade em pouco tempo e com ótimos resultados se tivesse estabelecido expectativas realistas desde o começo. Esta é uma daquelas situações em que a percepção é mais importante do que a realidade. Não atrapalhe seus objetivos, apenas seja realista a respeito dos resultados que consegue entregar para não criar expectativas que serão frustradas.

2. Sequestro emocional

Nos serviços de feedback 360° e coaching executivo que minha empresa oferece, já nos deparamos com ocasiões em que pessoas jogaram coisas, gritaram, fizeram alguém chorar e outros tantos sinais de um “sequestro emocional”. Um sequestro emocional demonstra um baixo nível de inteligência emocional e é um caminho fácil para a demissão. Assim que você começa a dar indícios desse nível de instabilidade, as pessoas questionam se você é realmente capaz de se manter calmo quando é necessário.

“Explodir” com qualquer pessoa, independentemente se ela “merece”, traz muita atenção negativa. Você será visto como instável, inacessível e intimidador. Controlar suas emoções mantém você no comando. Quando você consegue controlar suas emoções perto de alguma pessoa que te prejudicou, ela é que sai com a imagem negativa, e não você.

3. Puxar o saco do seu chefe

Algumas pessoas puxam o saco de seus chefes e chamam isso de “managing up”, mas esse não é o caso. Puxar saco não tem nada a ver com construir um relacionamento baseado em respeito, é desleal e dissimulado. O puxa-saco tenta massagear o ego do chefe para se dar bem, em vez de conquistar sua simpatia. Isso não é bem visto por colegas que estão tentando crescer com base nos seus méritos. Sim, você quer melhorar sua relação com a chefia, mas não quer que isso cause um estranhamento com os colegas. Há uma distinção clara a ser feita. Para que uma relação empregador-empregado funcione, ela precisa ter a autenticidade como alicerce. Nada substitui o mérito.

4. Comidas com cheiro forte

A não ser que você trabalhe em um navio, seus colegas vão perceber se você deixar todo o ambiente fedendo a peixe velho. Quando se trata de comida no trabalho, o consenso é que qualquer alimento com um odor capaz de ultrapassar a porta da copa ou cozinha deve ser deixado em casa. Pode parecer algo insignificante, mas comidas com cheiro forte causam distração e aborrecimento, e são fáceis de serem evitadas. Se algo traz desconforto a outras pessoas quando poderia ser facilmente evitado, isso pode gerar ressentimentos muito rápido. O seu almoço fedorento passa a mensagem para os colegas que você não se importa com eles, mesmo quando isso não é verdade.

5. Apunhalar pelas costas

A expressão já diz tudo. Apunhalar seus colegas pelas costas, seja de forma intencional ou não, é uma grande fonte de hostilidade no ambiente de trabalho. Uma das formas mais frequentes dessa traição é tentar resolver um problema pelas costas de alguém. As pessoas geralmente fazem isso em uma tentativa de evitar conflito, mas acabam criando ainda mais problemas assim que as vítimas percebem o que houve. Todas vez que você prejudicar a imagem de uma pessoa em frente aos seus colegas, ela irá achar que foi apunhalada pelas costas, não importa quais foram suas intenções.

6. Negatividade

Às vezes, quando você está se sentindo triste e desanimado, seu humor pode afetar outras pessoas, mesmo que você não tenha essa intenção. Você foi contratado para facilitar o trabalho do seu chefe e da sua equipe, e não dificultá-lo. Pessoas que espalham a negatividade em seus departamentos e reclamam do trabalho ou de outras pessoas acabam piorando tudo para todo mundo. Se todo mundo sente que precisa de muito cuidado para abordar você e não tirá-lo do sério, é improvável que continuem fazendo isso por muito tempo.

7. Fofocar

As pessoas ficam com uma péssima imagem quando se deixam levar pela fofoca. Discutir sobre os erros ou infortúnios de alguém pode até acabar magoando a pessoa em questão, mas com certeza prejudicará a imagem daquele que fofoca e faz comentários maldosos.

8. Se gabar

Quando alguém atinge um bom resultado e começa a se gabar, a impressão que fica é que o seu sucesso não é frequente. Mas quando o sucesso é acompanhado de uma postura profissional, sem alarde, isso passa a imagem de normalidade, o que é muito mais impressionante. Conquistar grandes coisas sem se gabar delas demonstra uma disposição forte, é um indício para os outros que você está acostumado a ser bem sucedido.

9. Anunciar que você odeia seu trabalho

A última coisa que seus colegas querem no trabalho é uma pessoa reclamando sobre o quanto ela odeia o emprego. Fazer isso o rotula como uma pessoa negativa e reduz a moral do grupo. Chefes sabem reconhecer rapidamente quem são os pessimistas que prejudicam o ânimo da equipe, e sabem que há sempre opções melhores lá fora.

 
Fontes: Edital Concursos Brasil e Convegência Digital