Ex-deputado foi internado na manhã deste domingo para realizar exames.
Incor diz apenas foi feita avaliação cardiovascular e que ele recebeu alta.

O ex-deputado José Genoino, que cumpre pena domiciliar por ter sido condenado no julgamento do mensalão, foi examinado no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF) após sentir dores no peito e já foi liberado. Ele deixou o hospital na tarde deste domingo (2).

“O Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF) informa que na tarde deste domingo, o paciente José Genoíno Neto deu entrada na emergência da instituição para avaliação cardiovascular. O paciente realizou exames e recebeu alta hospitalar”, se limitou a informar o hospital, por meio de boletim médico divulgado à imprensa.

De acordo com o advogado de Genoino, Cláudio Alencar, o ex-deputado e ex-presidente do PT vinha passando mal desde sábado. Ao ser examinado por um médico em casa, Genoino foi diagnosticado com um pico de pressão arterial. Após recomendação do médico, a família decidiu levá-lo para o hospital.

A assessoria de imprensa do ex-deputado informou que ele chegou ao hospital por volta de 11h40 deste domingo, com sudorese forte, palidez, dores no peito, respiração ofegante e dificuldades de falar.

Inicialmente Genoino, que tem problemas cardíacos, cumpria pena em regime semiaberto, no presídio da Papuda. No fim de novembro passou mal e foi levado para um hospital, onde ficou dois dias internado. Depois disso, o presidente do STF, Joaquim Barbosa, que também é o relator do processo do mensalão, decidiu conceder a prisão domiciliar.

genoino

Nova avaliação no fim de fevereiro
Laudo médico feito por cardiologistas da Universidade de Brasília (UnB) em novembro de 2013, por determinação de Barbosa, afirmou que a cardiopatia de Genoino “não se caracteriza como grave” e que não havia necessidade de tratamento domiciliar permanente.

No entanto parecer da Procuradoria Geral da República disse que Genoino “apresenta graves problemas (delicada condição) de saúde e corre risco se continuar a cumprir pena no presídio”.

Com base no parecer da PGR, Barbosa determinou que Genoino passe por nova avaliação médica no fim de fevereiro, que servirá de base para que o ministro decida se ele voltará para a prisão, na Penitenciária da Papuda, ou se continuará cumprindo a pena em casa.