Petrobras diz que é o primeiro aumento desde dezembro de 2002; atualmente há 99 milhões de botijões de gás no País

A Petrobras reajustou em 15% o preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) para uso residencial, envasado em botijões de até 13 quilos. O novo preço vale a partir desta terça-feira (1º).

butijão de gaz

A Petrobras anunciou nesta segunda-feira que o preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) para uso residencial, envasado em botijões de até 13 quilos, foi reajustado em 15% em média. O percentual, segundo a companhia, passa a valer a partir de terça-feira. Segundo a estatal, esse é o primeiro reajuste aprovado desde dezembro de 2002.

De acordo com o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigas), o preço atual médio do botijão de gás de 13 quilos é de R$ 46, valor que deve subir de imediato, já que as empresas deverão repassar o novo valor ao consumidor.

Segundo o Sindigás, atualmente existem 99 milhões de botijões em circulação em todo o país e, a cada dia, são entregues 1,5 milhão de botijões aos consumidores brasileiros. Sete grandes empresas dividem 96% do mercado brasileiro de GLP, sendo que as quatro maiores são Ultragaz, com 23,11% do total, Liquigas (22,61%), Supergasbras (20,58%) e Nacional Gas (19,16%).

A Petrobras anunciou nesta segunda-feira que o preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) para uso residencial, envasado em botijões de até 13 quilos, foi reajustado em 15% em média. O percentual, segundo a companhia, passa a valer a partir de terça-feira. Segundo a estatal, esse é o primeiro reajuste aprovado desde dezembro de 2002.

De acordo com o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigas), o preço atual médio do botijão de gás de 13 quilos é de R$ 46, valor que deve subir de imediato, já que as empresas deverão repassar o novo valor ao consumidor.

Segundo o Sindigás, atualmente existem 99 milhões de botijões em circulação em todo o país e, a cada dia, são entregues 1,5 milhão de botijões aos consumidores brasileiros. Sete grandes empresas dividem 96% do mercado brasileiro de GLP, sendo que as quatro maiores são Ultragaz, com 23,11% do total, Liquigas (22,61%), Supergasbras (20,58%) e Nacional Gas (19,16%).

Faça o seu comentário