INSS não informou imediatamente quando será a seleção, nem em quais cidades os nomeados irão trabalhar

Com a previsão de abertura de 150 novas agências do INSS este ano no país, a Previdência Social fará concurso público para contratar 950 servidores com salários de até R$ 7,5 mil. A autorização para a seleção foi liberada ontem pelo Ministério do Planejamento e deve ser promovida até dezembro. Especialistas recomendam que aos candidatos que estudem as recentes mudanças nas regras para concessão de aposentadorias. As alterações na lei vão tornar a disputa ainda mais acirrada.

Rodrigo Menezes, professor e diretor do curso Concurso Virtual, afirma que os alunos precisam ter atenção redobrada. Ele ressalta que estudar também as antigas normas de benefícios livra o candidato de cair nas famosas “pegadinhas”.

“Vale a pena saber o ‘antes’ e como ficou depois das mudanças. Muitas perguntas tendem a reproduzir o texto antigo da lei induzindo os candidatos a cometer erro”, alerta.

Mas o professor destaca que “as mudanças nas regras, embora muito significativas, são de fácil entendimento. “O candidato terá condições de entender bem as mudanças e vai acertar as questões na prova”, diz.

A maior parte das vagas (800) é para o cargo de técnico do seguro social, que exige Nível Médio de escolaridade. A remuneração inicial é de R$4.886,87. As outras 150 oportunidades são para analista do seguro social. Neste caso, é preciso ter Nível Superior. O salário de entrada é de R$ 7.496,10. De acordo com o INSS, ainda não foram definidas as cidades que serão beneficiadas pelas novas vagas.

O concurseiro Ygor Adriano Rocha, 24 anos, está desde o ano passado debruçados nos livros. Ele agora vai jogar peso para passar no exame do INSS. “Estou habituado com a legislação brasileira, que muda com frequência”, afirma, ressaltando que montou um cronograma de estudos que o ajudará a não perder o ritmo.

“Fiz uma grade de estudo de seis horas por dia. Assisto a três horas de vídeo-aulas e estudo três horas com leitura e realização de exercícios. Estudo uma matéria por dia, de segunda a sábado. No domingo descanso, explica Rocha.

A portaria do Planejamento também autorizou que o INSS convoque 150 analistas aprovados em concurso anterior. O instituto alega que houve aumento de demanda nas agências em razão das mudanças na legislação para concessão de aposentadoria especial a deficientes físicos.

DICAS

MATÉRIAS COMUNS

Segundo Rodrigo Menezes, professor e diretor do curso Concurso Virtual, as matérias básicas para a seleção do INSS, direcionadas às vagas de Nível Médio, são comuns aos principais concursos que já estão abertos. São Português, Raciocínio Lógico, Informática, Direito Constitucional e Direito Administrativo.

MESMO CONTEÚDO

Para o especialista, ao estudar essas matérias o candidato terá conteúdo acumulado para vários outros concursos. Deve se dedicar às questões específicas. “No caso do INSS é Direito Previdenciário, que realmente faz diferença no concurso devido ao grande número de questões”, alerta.

PROVAS ANTERIORES

Enquanto não se define qual será a banca organizador, o candidato precisa de dedicar em aprender a teoria. “Fazer exercícios com questões de diversas bancas e questões de provas anteriores”, orienta Rodrigo Menezes.

AULA GRATUITA

Candidatos interessados em fazer o concurso para o INSS têm oportunidade de assistir aulas gratuitas de informática e começar a ter contato com o conteúdo programático da seleção. As aulas estão marcadas para os domingos 5 e 12 de julho, no Universo do Concurso, sempre das 9h às 12h. Para participar basta levar um pacote de fralda infantil. O curso fica na Rua Silveira Martins, 151, próximo à estação do metro do Catete. Informações: whatsapp 98288-8433.

Regras da aposentadoria especial não foram mudadas

Nada mudou nas regras da aposentadoria especial. Continua a ser devida com 15, 20 ou 25 anos de contribuição, conforme o agente nocivo, segundo o Instituto de Estudos Previdenciários.

AGOSTINHO GONÇALVES – Tenho 35 anos de contribuição e 57 de idade. Somando dão 92 pontos. Porém os 35 anos de contribuição são de aposentadoria especial. Trabalho em área de periculosidade. Como fica a minha aposentadoria?Existe mudança neste caso?

IEPREV— As mudanças não apresentaram alterações para com a aposentadoria especial, que continua a ser devida aos 15, 20 ou 25 anos de contribuição, dependendo de qual agente nocivo o segurado está exposto e sem incidência do fator previdenciário. Caso os 35 anos tenham sido trabalhados em exposição a agentes nocivos à saúde o segurado já pode requerer a aposentadoria especial. Em caso de negativa pelo INSS, deve ir à Justiça.

MARIA CLARA CUNHA — Tenho 61 anos de idade e 26 de contribuição. Posso aposentar com valor integral. A soma é 87?

Não, deve ser respeitado o tempo mínimo de pagamento de 30 anos para a mulher se aposentar por tempo de contribuição. Visto que já completou o mínimo de 60 anos de idade e 15 de tempo de contribuição pode se aposentar por idade, sem o fator previdenciário. Será aplicado coeficiente de cálculo de 96%, diante dos 26 anos de contribuição. O benefício será de cerca de 96% da média salarial.

concurso publico