O Aniversario de mestre Marcão foi comemorado em uma Roda de Capoeira no bairro Oiticica em Campo Grande, Rio de Janeiro, com a participação de 10 Associações de Capoeira. Marcão completa 41 anos de vida e 35 anos de Capoeira.

O Mestre Marcão estava muito feliz, varias associações estiveram presentes, de variados Bairros e Municípios do Rio de Janeiro: Jacarepaguá, Santa Cruz, Magarça, Caxias, Bento Ribeiro, Gardênia Azul, Seropédica da União Costa Verde. Marcão explica que o Grupo Ginga Firme Capoeira tem 7000 membros em todo mundo, Brasil, Malásia, Indonésia e Timor Leste.

Mestre Marcão fala que este trabalho é social e um meio de transformar vidas. “A capoeira é uma arte afro-brasileira, que mescla luta, dança, musicalidade e cultura dos negros africanos que haviam sido trazidos ao Brasil por conta da escravidão. Esta cultura e bem aceita em outros países porque além de ensinar a defesa pessoal em o ritmo da música, atrai os povos estrangeiros a querer praticar. A Capoeira ensina a ser mais tolerante, um filho melhor, um pai melhor, um marido melhor, ela ajuda a educar o corpo e a mente” destaca Marcão.

No evento esteve presente um dos padrinhos do grupo, morador de Seropédica, conhecido carinhosamente como Xandão. “A capoeira faz clara distinção entre defesa e ataque e quem pratica essa atividade não é estimulado a “sair atacando”, mas, sim, a olhar, refletir e, se for necessário, saber agir de modo a cuidar da própria defesa. Isso torna a capoeira um excelente meio de aprendizado para as crianças que tendem a entender de forma mais rápida e lúdica que a violência não vale a pena, as crianças que são agressivas vem para o nosso meio e se tornam crianças calmas e obedientes” comemora Xandão.

A capoeira desenvolve o respeito, a tolerância. “No caso das crianças, especialmente, com essa atividade elas aprendem, por exemplo, que precisam ter cuidado com o movimento que pretendem fazer para não machucar o outro; entendem que a atividade acontece entre todos independentemente de uma maior habilidade ou da ausência dela por parte de um ou de outro” destaca o Munitor Blayd de Seropédica.

DSC_0125

DSC_0008 DSC_0011 DSC_0010 DSC_0011 DSC_0012 DSC_0013 DSC_0014 DSC_0015 DSC_0016 DSC_0017 DSC_0018 DSC_0019 DSC_0020 DSC_0021 DSC_0022 DSC_0023 DSC_0024 DSC_0025 DSC_0026 DSC_0027 DSC_0028 DSC_0029 DSC_0030 DSC_0031 DSC_0032 DSC_0033 DSC_0034 DSC_0035 DSC_0036 DSC_0037 DSC_0038 DSC_0039 DSC_0040 DSC_0041 DSC_0042 DSC_0043 DSC_0044 DSC_0045 DSC_0046 DSC_0047 DSC_0048 DSC_0061 DSC_0062 DSC_0063 DSC_0064 DSC_0065 DSC_0066 DSC_0067 DSC_0068 DSC_0069 DSC_0070 DSC_0071 DSC_0072 DSC_0073 DSC_0074 DSC_0075 DSC_0076 DSC_0077 DSC_0078 DSC_0079 DSC_0080 DSC_0081 DSC_0082 DSC_0083 DSC_0084 DSC_0085 DSC_0086 DSC_0087 DSC_0088 DSC_0089 DSC_0090 DSC_0091 DSC_0092 DSC_0093 DSC_0094 DSC_0095 DSC_0096 DSC_0097 DSC_0098 DSC_0099 DSC_0100 DSC_0101 DSC_0102 DSC_0103 DSC_0104 DSC_0105 DSC_0106 DSC_0107 DSC_0108 DSC_0109 DSC_0110 DSC_0111 DSC_0112 DSC_0113 DSC_0114 DSC_0115 DSC_0116 DSC_0117 DSC_0118 DSC_0119 DSC_0120 DSC_0121 DSC_0122 DSC_0123 DSC_0124 DSC_0125 DSC_0126 DSC_0127 DSC_0144 DSC_0145 DSC_0146 DSC_0147 DSC_0148 DSC_0149 DSC_0150 DSC_0151 DSC_0152 DSC_0153 DSC_0154 DSC_0155 DSC_0156 DSC_0157 DSC_0158 DSC_0159 DSC_0160 DSC_0161 DSC_0162 DSC_0163 DSC_0164 DSC_0165 DSC_0166 DSC_0167 DSC_0168 DSC_0169 DSC_0170 DSC_0171 DSC_0172 DSC_0173 DSC_0174 DSC_0175 DSC_0176 DSC_0177 DSC_0178 DSC_0179 DSC_0180 DSC_0181 DSC_0183 DSC_0184 DSC_0185 DSC_0186 DSC_0187 DSC_0188 DSC_0189 DSC_0190 DSC_0191 DSC_0192