Policiais da (PRF) multaram e prenderam caminhões que estava transportando areia com carga acima do limite, e sem documentação regularizada,na Rodovia RioSantos (BR101), altura de Itaguaí neste ultimo dia (21/02). Dados da PRF (Polícia Rodoviária Federal) informam que já foram registradas este ano na rodovia BR-101 dezenas de casos com caminhões com carga acima do limite, ou com carga oferecendo perigo de acidentes, a BR 101 é uma das principais rodovias que liga Rio de Janeiro a São Paulo.

Segundo especialistas de tráfego e o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), o excesso de peso é a principal causa dos buracos nas estradas. Para entidades ligadas ao setor de transporte, a má qualidade do asfalto das rodovias também colabora para a degradação asfáltica. Caminhões com falta de manutenção e com carga acima do limite colaboram com os acidentes nas estradas.

De acordo com o engenheiro civil Jorge Augusto Waltzer, um asfalto projetado para suportar 30 toneladas num período de dez anos tem a vida útil reduzida para até dois anos, com a má utilização do mesmo – próximo do que informou o DNIT: redução de dois anos e meio a cinco anos. “A degradação do asfalto pode ocorrer até em meses, a depender do caso”, afirmou Waltzer, para quem a fiscalização no Brasil ainda é muito ruim com relação ao excesso de peso e as multas aplicadas poderiam ser “infinitamente maiores” se houvesse maior fiscalização.

De acordo com a pesquisa rodoviária de 2014 da CNT (Confederação Nacional do Transporte), 63,8% das rodovias do Brasil estão em estado regular, ruim ou péssimo.

Balanças

A PRF informou que a fiscalização é feita, basicamente, analisando-se a nota fiscal da carga transportada. Observa-se o peso informado na nota fiscal e o tipo de material carregado.  Soma-se o peso da carga com o do conjunto veicular e, assim, pode-se verificar se o veículo está com excesso.

Além disso, faz-se a medição do “volume” da carga. Há uma tabela com a densidade do material e assim pode-se calcular o peso. A forma mais eficiente de fiscalização, contudo, é a balança, que, pelo dinamismo, permite que um maior número de veículos seja fiscalizado.

Pesagem moderna

De acordo com o DNIT, será feita uma modernização no sistema de pesagem, que passará a ser realizada com o veículo em movimento, como ocorre nos Estados Unidos. “Serão instalados sensores na pista de rolamento e o veículo só entrará no posto de pesagem para autuação/medidas administrativas, se for detectado excesso de peso. Se houver fuga, haverá sensores de imagem e o veículo será autuado automaticamente”, comunicou o DNIT.

Outros riscos

Motoristas confirmaram a informação do policial. Disseram ainda que o excesso de peso só os prejudica, pois aumenta o tempo de viagem, gasta mais os freios, gera maior cansaço, gasta mais combustível e aumenta o risco de acidentes. “Eu digo que é uma maioria que trafega acima do peso permitido, e por influência do dono da carga”, disse o caminhoneiro Cláudio Colombo, 60, de São Paulo.  “O limite do meu caminhão é de 27 toneladas, mas não deixou passar de 15 toneladas”, garantiu.

PRF Caminhoes
Foto: Carlos Cruz

 

 

 

 

Faça o seu comentário