A falta de policiamento no Arco Metropolitano está facilitando o roubo de baterias, placas solares e câmeras que controlam a velocidade dos veículos. São mais de 4 mil postes espalhados ao longo de 72 quilômetros. Além do perigo de ser assaltado, a rodovia está ficando no escuro e perigosa para viajar à noite, principalmente entre os municípios de Seropédica, Itaguaí e Japeri.

O perigo maior é quando os ladrões derrubam o poste, podendo cair na rodovia ocasionando um grave acidente, alguma coisa tem de ser feita com urgência. 

A rodovia, que foi inaugurada em 2014, já deixa nítido os sinais de abandono, vandalismo e da ação de bandidos. A falta de segurança no Arco rodoviário é tão grande que os equipamentos da estrada estão sendo roubados. Os postes estão sendo atacados e a falta de policiamento faz com que os ladrões tenham tempo de desatarraxar os parafusos, derrubar os postes e roubar todos os equipamentos: bateria, placa solar, iluminação.

O Arco Metropolitano cruza a Baixada Fluminense até Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio. Para instalar os postes com placas de energia solar, o governo investiu R$ 96,7 milhões. Cada poste custou, em média, R$ 22 mil. O Departamento de Estradas de Rodagem do Rio diz que, por enquanto, não tem previsão de substituição, já que a manutenção da estrada está suspensa por falta de dinheiro.

Em fevereiro, um vigilante foi morto em um assalto. Em maio, dois seguranças que faziam a escolta de uma carga de cigarros foram assassinados. Um carro da secretaria de administração penitenciária também foi atacado, onde isso vai parar?