Quando foi anunciado a instalação da Cabine de Cobrança de Pedágio na Rio São Paulo, em 1 de dezembro de 2003 a população de Seropédica tendo a frente o Comité Pedágio Não, iniciou uma batalha para evitar que o município tivesse dois pedágios, prejudicando o ir e vir dos munícipes.

(O pedágio na entrada de Seropédica já foi fechado em 1999, a pedido do Tribunal de Contas do Estado, mas uma liminar deu direito a continuidade da obra. A lei estadual 4044, do deputado Paulo Ramos, impedia a construção de pedágios dentro de municípios. Por isso, a procuradoria da ALERJ entrou com ação na Justiça Federal pedindo o embargo da obra em Seropédica).

Neste período foi criado o Comitê Pedágio Não, com o objetivo de negociar a retirada dos dois pedágios; um do Bairro São Miguel e outro na Estrada Rio São Paulo BR 465. Várias idas foram feitas a ANTT em Brasília pelo comitê, com o pedido de transferir os dois pedágios para a divisa de Seropédica e Paracambi na antiga balança. Acontece que nesta luta só conseguimos a gratuidade do passe livre dos moradores de Seropédica e Paracambi na praça de pedágio da Rio São Paulo.  “O pedágio vem prejudicando os moradores do município de Seropédica, cortando o município em duas partes”.

Agora com este anuncio da ANTT a nova concessão do pedágio, na BR-116/RJ, vai ser entre o entroncamento com a BR-465, no município de Seropédica (km 214,7), e a divisa RJ/SP (km 339,6). Nisso a ANTT esqueceu da manutenção da Estrada Rio São Paulo BR. 465 que também e pedágiada. A rodovia, que tem 22 quilômetros e liga a Dutra à Avenida Brasil, e não recebe obras de manutenção com a cobrança de pedágio

Dois pedágios em Seropédica estão onerando em muito o custo do transporte, como também os produtos que são vendidos no comercio, prejudicando a população que já paga vários impostos, entre eles o IPVA.

Na ultima concessão da Via Dutra em 1994, foi prometido a duplicação da pista na subida e descida da Serra das Araras, e já se passou 26 anos e nada foi feito. Agora eu pergunto: cadê o dinheiro que seria investido nesta obra? Porque a ANTT mudou o trajeto da concessão do Pedágio, impedindo que a nova empresa que vai administrar a Dutra, faça manutenção de Seropédica até o trevo com a Avenida Brasil? onde diariamente sofre com imensos congestionamentos.

Precisamos solicitar que neste novo projeto de concessão, que inicia as obras de duplicação da pista na Serra das Araras, a continuidade da manutenção até o trevo com Av. Brasil, e a mudança da praça do pedágio para divisa de Seropédica com Paracambi, que irá ajudar em muitos estes dois municípios. Diariamente tem havido acidentes na Serra das Araras como aconteceu nesta terça feira (21), com engavetamento de três caretas, levando em torno de quatro horas de retenção.

Neste novo projeto vai ser criado Praça de Pedágio em Barra Mansa, mas até agora não se falou em diminuir o preço do pedágio, já que a distancia entre pedágios será menor. Vai ser investido dinheiro na BR 101 Rio Santos (Costa Verde), duplicando a pista, entre Mangaratiba e Angra dos Reis, investimento no Turismo da região.

Durante a Audiência Publica ocorrido na Agência  Nacional de Transportes Terrestres, (ANTT), neste ultimo dia 15 de janeiro, foi discutido o novo modelo de concessão da BR 116 (Via Dutra)e a BR 101 (Rio Santos), onde foi informado do estudo da transferência da praça de pedágio de Itatiaia para Floriano em Barra Mansa.

Até agora não se falou em diminuir o preço do pedágio, já que a distância entre os pedágios de Seropédica e Barra Mansa será menor. Na Audiência Publica foi falado que vão investir dinheiro na BR 101 na Costa Verde, duplicando a pista, entre Mangaratiba e Angra dos Reis, um investimento no Turismo da região. Será que vai ser outra promessa como no caso da Serra das Araras que vem levando 26 anos de descaso com muitas mortes por acidente?

 

Faça o seu comentário