Foi realizado nesta terça-feira (24), Santa Missa Natalina, realizada pelo Padre Paulo Sergio, na Comunidade do Cruzeiro, Paroquia Nossa Senhora das Graças.

A Santa Missa teve inicio as 19:30 horas, onde dezenas de pessoas vieram agradecer ao Nascimento de Jesus. Em sua homilia o Padre Paulo Sergio fala da Noite de Natal em que somos convidados a refletir que o amor eterno se fez criança em Belém. O Evangelho desta missa da noite apresenta a realização da promessa profética: Jesus, o “Menino de Belém”, é o Deus que vem ao encontro dos homens para lhes oferecer, sobretudo aos pobres e marginalizados, a salvação. A proposta que Ele traz não será uma proposta que Deus quer impor pela força; mas será uma proposta que Deus oferece ao homem com ternura e amor.

“Jesus nasce em Belém, da descendência de David, anunciado pelos profetas. Fica, desta forma, claro que o nascimento de Jesus se integra no plano de salvação que Deus tem para os homens, plano que os profetas anunciaram e cuja realização o Povo de Deus aguardava ansiosamente. São Lucas descreve pormenorizadamente a pobreza e a simplicidade que rodeiam a vinda ao mundo do libertador dos homens: a falta de lugar na hospedaria, a manjedoura dos animais a fazer de berço, os panos improvisados que envolvem o bebé, a visita dos pastores. Claramente é na pobreza, na simplicidade, na fragilidade, que Deus Se manifesta aos homens e lhes oferece a salvação. Os esquemas de Deus não se impõem pela força das armas, pelo poder do dinheiro ou pela eficácia de uma boa campanha publicitária; mas Deus escolhe vir ao encontro dos homens na simplicidade, na fraqueza, na ternura de um menino nascido no meio de animais, na absoluta pobreza. É assim que Deus entra na nossa história. É assim a lógica de Deus”.

“As “testemunhas” do nascimento de Jesus são os pastores. Trata-se de gente considerada rude, violenta, marginal, que invadiam com os rebanhos as propriedades alheias e que tinham fama de se apropriar da lã, do leite e das crias do rebanho em benefício próprio. Eram, com frequência, colocados ao lado dos publicanos e dos cobradores de impostos pela rígida moral dos fariseus: uns e outros eram pecadores públicos, incapazes de reparar o mal que tinham feito, tantas eram as pessoas a quem tinham prejudicado. Ora, São Lucas coloca, precisamente, esses marginais como as “testemunhas” que acolhem Jesus. O evangelista sugere, desta forma, que é para estes pecadores e marginalizados que Jesus vem; por isso, a chegada de um tal “salvador” é uma “boa notícia”: a partir de agora, os pobres, os débeis, os marginalizados, os pecadores, dos lascados, daqueles que vivem nas “periferias existenciais” que são convidados a integrar a comunidade dos filhos amados de Deus. Eles vêm ao encontro dessa salvação que Deus lhes oferece em Jesus e são convidados a integrar a comunidade da nova aliança, a comunidade do “Reino”.

O Padre deseja a todos um Feliz Natal, com amor e unidade entre todos.

Ao final da Santa Missa muitas crianças e adultos foram ver o Presépio que foi montado próximo ao Altar.

 

Faça o seu comentário