Licença prévia da termoelétrica foi publicada no Diário Oficial. Usina ficará na Comlurb do Caju, na Zona Portuária.

A primeira termoelétrica que transforma lixo em eletricidade do Brasil poderá ser instalada no Rio de Janeiro. A licença prévia para a construção da usina foi publicada no Diário Oficial na última quinta-feira (9).

A termoelétrica será instalada na unidade da Comlurb no Caju, na Zona Portuária do Rio. O custo da obra está avaliado em aproximadamente R$ 500 milhões e será privado.

O empreendimento foi projetado para transformar 1,3 mil toneladas de lixo em eletricidade por dia, o que significa 14% de todos os resíduos coletados diariamente na cidade.

A energia gerada abastece cerca de 200 mil pessoas, aproximadamente a população de Angra dos Reis.

A tecnologia usada na usina já está presente em 500 termoelétricas a lixo no Hemisfério Norte, especialmente na Europa.

A presidente da Ciclus, empresa que opera o aterro de Seropédica e responsável pela construção e operação da nova usina, diz que a termoelétrica traz muitas vantagens para a cidade.

“Grande parte dos resíduos gerados pela população carioca não vai precisar seguir até Seropédica. A gente vai economizar transporte e, por outro lado, vai transformar um passivo da sociedade em um ativo. Vai transformar lixo em energia limpa”, afirmou Adriana Felipetto, presidente da Ciclus.

Segundo os responsáveis pelo empreendimento, a transformação dos resíduos em eletricidade não oferece risco para a saúde.

“A gente passou por um amplo processo de licenciamento ambiental, com estudo de impacto ambiental, onde isso tudo foi avaliado. Existem vários estudos que demonstram que não há nenhum tipo de problema nem ambiental nem de saúde para as pessoas no entorno do empreendimento”, completou a presidente da Ciclus.

Fonte: G1

Faça o seu comentário