Ciudad Del Este, Salto Del Guairá, Capitán Bado e Pedro Juan Caballero, no Paraguai, abastecem o mercado ilegal de armas no Rio.

 O arsenal de armas de guerra em poder dos criminosos em comunidades do Rio de Janeiro já é maior do que o das forças de segurança do Estado, segundo as autoridades locais. De acordo com o Setor de Inteligência da Polícia Rodoviária Federal, quatro cidades no Paraguai são responsáveis pelo abastecimento do mercado ilegal de armas no Rio e chegam ao estado através da BR-116, a Rodovia Presidente Dutra.

Um levantamento da PRF identificou que as armas que abastecem o mercado ilegal no Rio vem de: Ciudad Del Este, Salto Del Guairá, Capitán Bado e Pedro Juan Caballero. De lá, os traficantes utilizam as rodovias BR-277, BR-369 e BR-374 para levar armas e munições a São Paulo e depois até o Rio, através da BR-116.

Só esse ano a polícia apreendeu mais de 300 fuzis, que são usados por traficantes de todas as facções para controlar territórios. Apenas durante uma apreensão no Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão, foram descobertos 60 fuzis dentro de aquecedores de piscina que vinham de Miami, nos Estados Unidos, para o Rio.

 

Levantamento mostra rota do tráfico de armas (Foto: Reprodução / TV Globo)Levantamento mostra rota do tráfico de armas (Foto: Reprodução / TV Globo)

Levantamento mostra rota do tráfico de armas (Foto: Reprodução / TV Globo)

A via Dutra é considerada a principal rota utilizada pelos traficantes para trazer armas e munições para o Rio de Janeiro. Por aqui passam 90 mil carros por dia. como os criminosos sabem que a fiscalização aqui é intensa, eles sempre procuram rotas alternativas. mas no último ano, as apreensões de munições cresceram no rio mais de 150%