Hélio Cabral teria sido dispensado devido à crise da água

O governador Wilson Witzel exonerou o presidente da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae), Hélio Cabral, do posto. O motivo teria sido a crise da água no Rio de Janeiro, desde o final de 2019.

O Governo do Estado confirmou e informou que o governador Wilson Witzel, como representante do acionista controlador da Cedae, determinou a imediata demissão de Helio Cabral Moreira do cargo de diretor-presidente da empresa e indicou para sucedê-lo o engenheiro Renato Lima do Espírito Santo.

O governador também convocou, em caráter extraordinário, reunião do Conselho de Administração da Cedae para esta terça-feira (11) para tratar exclusivamente da substituição do ocupante do cargo de diretor-presidente da companhia.

No final do ano passado, a água fornecida pela Cedae já apresentava aparência e gosto fora dos padrões da água potável ideal. A crise no fornecimento para a cidade do Rio e municípios da Região Metropolitana teria causado desaprovação do chefe do governo. Nas últimas semanas, a companhia usou carvão ativado como medida para combater a substância geosmina. A distribuição da água foi normalizada na última semana, segundo a Cedae.

Hélio Cabral assumiu o cargo na Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro no início do governo Wilson Witzel. Eles é um dos nomes apoiados pelo presidente do PSC, Pastor Everaldo,  aliado do governador.

 

Faça o seu comentário