No decorrer dos últimos anos, a cidade de Itaguaí passou a se reconfigurar como um polo de desenvolvimento econômico e logístico-produtivo; seja por ser sede do Porto de Itaguaí e do Porto Sudeste.

Com o novo marco legal do gás natural que foi sancionado em lei nesta quinta-feira (8/4) pela presidência da República, várias empresas estão articulando investimentos nesta área, com isso possibilitará redução do preço devido a concorrência.

Entre as empresas que pretendem aderir ao novo projeto está o Porto de Itaguaí que vem buscando investimentos para implantação de terminais de regaseificação de GNL (gás natural liquefeito) para aproveitar a passagem do projeto de transporte de gás da Bacia de Santos, a chamada Rota 4, e abrir o caminho para a implantação de indústrias na área de mais de 7 milhões de metros quadrados de expansão do porto.

Já o Porto de Sudeste que é vizinho do Porto de Itaguaí, é um terminal portuário privado localizado na Ilha da Madeira, em Itaguaí, entrou em operação em 2015, e hoje é um dos principais portos particulares do Brasil no transporte de produtos minerais. O Brasil possui um total de 175 instalações portuárias de carga, incluindo portos e terminais marítimos e instalações aquaviárias. Temos portos ao longo da nossa costa e no interior do país utilizando nossas extensas bacias hidrográficas. Pode não parecer, mas existem 76 terminais no interior, fora da costa litorânea.

O Porto Sudeste está estrategicamente posicionado para fortalecer a logística do setor de mineração, como rota rápida de exportação e facilitar o escoamento de minério de ferro e outros granéis sólidos aos clientes internacionais.

Os dois Portos e consequentemente o território onde se encontram localizados, passou a se requalificar produtivamente, tendo em vista o seu potencial na geração de emprego e renda para muitas famílias.

Figura 1: Localização de Itaguaí