Policiais Civis descobriram um grupo de aplicativo de mensagem, que foi criado, na tentativa de praticar saques em série a supermercados e lojas de departamento de diversos pontos do Rio e Baixada Fluminense. De acordo com agentes da 55ª DP (Queimados), os acusados criaram um grupo de Whatsapp, e nele estavam montando a forma de praticar o crime. Ainda segundo a polícia, os agentes foram até a residência de um dos acusados, que atua como vendedor ambulante na Zona Sul carioca, nos bairros de Madureira, Vargem Grande, e nos sistemas de transporte ferroviário e BRT.

O grupo de mensagens foi criado no último dia 21 de março, com fim específico de promover saques organizados durante o enfrentamento da propagação do novo Coronavírus (COVID-19) e diversas mensagens de áudio do grupo, acabaram vazando durante o último fim de semana causando apreensão na população e nos empresários. Após ser conduzido à Delegacia de Polícia, onde teve colhido seu depoimento e apreendido o aparelho de telefone utilizado na troca de mensagens, “Michelzinho” admitiu que os saques seriam realizados por cerca de 150 pessoas, visando prioritariamente a rede de supermercados Guanabara, Americanas, Casa Bahia e Casa & Vídeo. 

Ainda segundo a polícia, os ataques inicialmente iriam ocorrer nos bairros de Irajá e Madureira – no Rio de Janeiro; no Centro de Duque de Caxias e no Centro de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O aparelho de telefone utilizado na ação e apreendido em posse do acusado é produto de furto ocorrido na estação “Alvorada”, do BRT, no mês de novembro de 2019.

Fonte: Jornal Destaque Baixada

Faça o seu comentário