Um suspeito morreu, um foi ferido e outros dois conseguiram fugir

A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) instaurou inquérito para apurar a morte de uma mulher baleada em uma troca de tiros no interior de um trem, na Estação de Sampaio, na Zona Norte do Rio, na manhã deste domingo. Na ação, quatro homens tentavam assaltar a composição, quando um policial reagiu e atingiu dois suspeitos.
 
Um foi socorrido ao Hospital Municipal Souza Aguiar, mas não resistiu aos ferimentos e o outro foi socorrido à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Engenho Novo.
A passageira também chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas morreu na unidade.
 
Segundo a PM, equipes do 3ºBPM (Méier) foram acionados para checar um arrastão em andamento dentro de um vagão. Chegando ao local, os agentes foram informados de que um policial militar que estava na composição reagiu ao assalto.
 
A ocorrência aconteceu por volta de 7h, no trem que seguia de Japeri para a Central do Brasil. Passageiros que estavam na mesma composição que a vítima tentaram socorrê-la fazendo uma reanimação até a chegada dos paramédicos. Outro homem informou ter se ferido, mas dispensou atendimento médico. Outros dois criminosos fugiram e um revólver calibre 38 foi apreendido. A investigação está em andamento.
 
De acordo com a empresa, apenas nos primeiros três meses de 2021, já foram registrados 6 casos de tiroteios que prejudicaram a operação por mais de 11 horas. Durante todo o ano de 2020, foram contabilizados 36 casos de tiroteios nas proximidades da linha férrea, que afetaram a circulação dos trens por 40 horas e 24 minutos.
 
A SuperVia destacou que lamenta profundamente o ocorrido informou que está a disposição para contribuir com as investigações. Confira a nota:
A SuperVia lamenta profundamente o ocorrido e que a violência observada em todo o estado atinja também o sistema ferroviário, colocando em risco os seus milhares de clientes e os seus colaboradores. De acordo com o contrato de concessão, a segurança pública nos trens e estações é uma atribuição do Governo do Estado, que atua por meio de suas unidades policiais. Os agentes da SuperVia não têm poder de polícia e são orientados a acionar os órgãos competentes sempre que necessário. A empresa se coloca à disposição para contribuir com o que for necessário durante as investigações.
 
Fonte: Meia Hora
Morre mulher baleada durante assalto em trem da Supervia | Rio de Janeiro |  O DIA