Origens da comemoração na Grécia, Roma, Inglaterra, Estados Unidos, significados, oficialização da data, tradição da entrega de presentes, comercialização desta data comemorativa

No Brasil, o Dia das mães é comemorado sempre no segundo domingo de maio (de acordo com decreto assinado em 1932 pelo presidente Getúlio Vargas). É uma data especial, pois as mães recebem presentes e lembranças de seus filhos. Já se tornou uma tradição esta data comemorativa. Vamos entender um pouco mais sobre a história do Dia das Mães.

História do Dia das Mães

Encontramos na Grécia Antiga os primeiros indícios de comemoração desta data. Os gregos prestavam homenagens à deusa Reia, mãe comum de todos os seres. Neste dia, os gregos faziam ofertas, oferecendo presentes, além de prestarem homenagens à deusa.

Os romanos, que também eram politeístas e seguiam uma religião muita parecida com a grega, faziam este tipo de celebração. Em Roma, durava cerca de 3 dias (entre 15 a 18 de março). Também eram realizadas festas em homenagem a Cibele, mãe dos deuses.

Porém, a comemoração tomou um caráter cristão somente nos primórdios do cristianismo. Era uma celebração realizada em homenagem a Virgem Maria, a mãe de Jesus.

Mas uma comemoração mais semelhante a dos dias atuais podemos encontrar na Inglaterra do século XVII. Era o “Domingo das Mães”. Durante as missas, os filhos entregavam presentes para suas mães. Aqueles filhos que trabalhavam longe de casa, ganhavam o dia para poderem visitar suas mães. Portanto, era um dia destinado a visitar as mães e dar presentes, muito parecido com que fazemos atualmente.

Nos Estados Unidos, a ideia de criar uma data em homenagem às mães foi proposta, em 1904, por Anna Jarvis. A ideia de Anna era criar uma data em homenagem a sua mãe que havia sido um exemplo de mulher, pois havia prestado serviços comunitários durante a Guerra Civil Americana. Seus pedidos e sua campanha deram certo e a data foi oficializada, em 1914, pelo Congresso Norte-Americano. A lei, que declarou o Dia das Mães como festa nacional, foi aprovada pelo presidente Woodrow Wilson. Após esta iniciativa, muitos outros países seguiram o exemplo e incluíram a data no calendário.

Após estes eventos, a data espalhou-se pelo mundo todo, porém ganhando um caráter comercial. A essência da data estava sendo esquecida e o foco passou a ser a compra de presentes, ditado pelas lojas e pelo marketing, com objetivos meramente comerciais. Este fato desagradou Anna Jarvis, que estava muito desapontada em ver que o caráter de solidariedade e amor da data estava se perdendo. Ela tentou modificar tudo isso. Em 1923, liderou uma campanha contra a comercialização desta data. Embora com muita repercussão, a campanha pouco conseguiu mudar.

 

Curiosidades sobre o Dia das Mães

Essa celebração é mitológica! O dia das mães começou a ser comemorado na Grécia antiga.

O dia das mães como conhecemos é bem mais recente. Ela foi criada pela ativista Anna M. Jarvis que, após perder sua mãe, entrou em uma depressão profunda. Com isso, isso intitulou um dia para que não só sua mãe, mas todas as mães do mundo fossem reconhecidas e homenageadas.

Lá na Coreia do Sul o dia das mães é comemorado na mesma data que o dia dos pais. Antes, era considerado o dia da maternidade, mas a celebração foi estendida para papais e mamães.

Na Tailândia o dia das mães é celebrado no aniversário da rainha Sirikit Kitiyakara, considerada a mãe de todos os tailandeses.

O IBGE mostrou em 2010 que haviam 47 milhões de mães aqui no Brasil. Como será que esse número está agora?

A Sérvia comemora o dia das mães de um jeito um tanto curioso. Dois domingos antes do natal as mamães são presas com cordas pelos filhos e só podem se soltar após darem presentes e doces para as crianças.

As mães começaram a ser celebradas na França no início do século XX, onde as mulheres com muitos filhos começaram  a ser homenageadas, pois a taca de natalidade no país era baixa e preocupante.

Países que comemoram junto com o Brasil

Além dos brasileiros e norte-americanos, australianos, belgas, chineses, dinamarqueses, alemães, italianos, finlandeses, gregos, japoneses, canadenses, neozelandeses, austríacos, peruanos, suíços, turcos, venezuelanos, e ainda os nascidos na Estônia e em Formosa homenageiam as mães no segundo domingo deste mês.

No primeiro domingo de maio
Já Portugal, Lituânia, Hungria, Cabo Verde, África do Sul, Espanha e Suécia escolheram o primeiro domingo de maio para dedicar às mães nascidas nesses países. Por outro lado, a França definiu o último domingo. Mas caso a data coincida com Pentecostes, a festa é transferida para o primeiro domingo de junho.

Nos demais dias do mês

Ainda em maio, só que em dias fixos, o Dia das Mães é comemorado na Suécia, no México, Barém, Hong Kong, Índia, Malásia, Catar e Cingapura (10), Polônia (26) e na Bolívia e na República Dominicana (27).

No restante do ano

No segundo domingo de fevereiro os festejos acontecem na Noruega. Em março, no dia 3, na Geórgia e na Albânia; 8 , na Rússia, Sérvia, Montenegro, Bulgária e Romênia; e dia 21 no Egito, Síria, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos. Na Armênia, cai em 7 de abril.

Em agosto, nos dias 12 e 15, respectivamente, é a vez dos tailandeses e dos naturais da Costa Rica. No mês de outubro, os indianos (início do mês) e argentinos (terceiro domingo) homenageiam suas mães, ficando o dia 8 de dezembro reservado para os panamenhos. No primeiro dia da primavera, palestinos e libaneses celebram a data, com duas semanas antes do Natal esta acontecendo na Croácia.

Amor de mãe no mundo animal

O amor de mãe é protetor e incondicional, independente da espécie. E não dá para contestar que os animais são muitos carinhosos com os seus filhotes. Conheça algumas mães pra lá de especiais do reino animal. Delicie-se com as imagens:

Amor de mãe no mundo animal