A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira (3), em três Estados e no Distrito Federal,  a “Operação Circuito Fechado”, para apurar o desvio de recursos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no valor de R$ 40 milhões, em contratos de 2012 a 2019.

Estão sendo cumpridos nove mandados de prisão temporária e 44 de busca e apreensão no Paraná, Distrito Federal, São Paulo e  Goiás.

Uma das buscas é cumprida na sede nacional do Dnit,  órgão vinculado ao Ministério da Infraestrutura. As ordens foram expedidas pela Justiça Federal, que determinou ainda o bloqueio de cerca de R$ 40 milhões dos investigados e o sequestro de seis imóveis e 11 veículos.

Em nota, o Dnit informou que “a atual gestão foi responsável, não só por descontinuar o contrato de prestação do serviço, bem como atuou para que as eventuais ilicitudes estejam hoje sendo objeto de apuração pelos órgãos responsáveis” e disse estar à disposição das autoridades para colaborar com esclarecimentos adicionais. “Eventuais desvios também são objeto de apuração interna, por meio dos mecanismos de controle e de conformidade da autarquia. O Dnit reafirma estar em permanente contato com os órgãos de controle e que pauta sua atuação dentro da legalidade e lisura, respeitando todos os princípios éticos da administração pública”, diz um trecho do comunicado.

Faça o seu comentário