Com a dívida da Prefeitura do Rio de Janeiro no valor de R$ 62 milhões a CTR de Seropédica, trabalhadores poderão ficar sem pagamento e cruzar os braços, com isso o tratamento de chorume vai deixar de ser feito, ocasionando desastre ambiental, contaminando o Aquífero, Rios e Riachos que cruzam a região.

Até hoje queremos saber como o INEA liberou a instalação de um tratamento de Lixo encima do maior Aquífero do estado do Rio de Janeiro. Apesar da mobilização de centenas de ambientalistas avisando que o aquífero ficaria contaminado por vazamento de Chorume, o INEA deu autorização do funcionamento do aterro sanitário em Seropédica.

Matéria Jornal O Globo 18/12/2019

A suspensão das atividades do Tesouro Municipal do Rio de Janeiro, na terça-feira (17), preocupa os fornecedores que prestam serviços para a prefeitura. Várias áreas dependem de serviços terceirizados, que já estavam com repasses atrasados. A empresa responsável por transportar e tratar os resíduos recolhidos na cidade emitiu um comunicado nesta quarta (18) informando que será forçada a reduzir o número de carretas que transportam o lixo para uma central de tratamento em Seropédica, na Baixada Fluminense, a partir do próximo sábado (21).

De acordo com o RJ1, a empresa afirmou que a dívida com a Prefeitura do Rio chegará a R$ 62 milhões e não há previsão para o pagamento dos repasses referentes aos meses de outubro, novembro e dezembro.

“A prefeitura parou. Não há mais dinheiro para pagar nada. Senhores, isso é sério, porque todos vocês serão mais afetados, não só como os trabalhadores que deixaram de receber salário, mas como cidadãos que não terão os serviços públicos. Limpeza urbana, educação, tudo. Se a preocupação antes era a saúde parada, agora vai ser a cidade toda parada”, destacou Dárcio Chaves Faria, procurador do Município do Rio.

Faça o seu comentário