O sargento Fábio José Cavalcante e Sá morreu com um tiro na cabeça depois de reagir a uma tentativa de assalto na Baixada Fluminense.

Morto por volta das 9h deste sábado, o sargento Fábio José Cavalcante e Sá é o centésimo policial militar assassinado este ano no Rio de Janeiro.

O PM, de 39 anos, morreu em uma tentativa de assalto em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. De acordo com as informações divulgadas pela Polícia Militar, o sargento reagiu e foi atingido com um tiro na cabeça.

Ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Nilo Peçanha, em Duque de Caxias, também na Baixada Fluminense, mas não resistiu aos ferimentos.

O pai do policial estava presente no momento do crime e tentou salvá-lo, pedindo para que os bandidos não atirassem contra o filho. Em estado de choque, ele foi sedado e está internado na mesma UPA de Duque de Caxias.

O sargento Cavalcante estava há mais de 15 anos na corporação. Ele era lotado no 34º Batalhão, em Magé, cidade da Baixada Fluminense onde morava com a mulher e um filho de sete anos.

Nesta semana, policiais e parentes de PMs tinham iniciado uma campanha nas redes sociais com o lema “Não quero ser o centésimo; basta.”

As mortes dos cem PMs ocorreram em diferentes circunstâncias no estado e entre os mortos há policiais que estavam de folga ou em dia de trabalho, entre militares ativos e inativos. A maioria foi assassinada em operações, assaltos, tentativas de assalto ou após terem a identidade de PM revelada, segundo autoridades.

Faça o seu comentário