É incrível como os Órgãos de Meio Ambiente não veem o que acontece ao seu redor, como a contaminação do Rio Guandu através de seus afluentes. 

É vergonhoso o que acontece no Estado do Rio de Janeiro, onde crimes ambientais são praticados e nada é feito. Inclusive Órgãos Ambientais dando autorização de funcionamento para empresas em locais que deveriam serem protegidos, como aconteceu com a CTR (Centro de Tratamento de Resíduos) (Lixão) para funcionar encima de um Aquífero, onde já houve vários vazamentos de chorume. 

Na tarde do dia 23 de fevereiro, terça-feira, as equipes da Diretoria de Segurança Hídrica e Qualidade Ambiental, Diretoria de Pós-licença e a Superintendência Integrada de Combate aos Crimes Ambientais realizaram fiscalização conjunta com o objetivo de verificar denúncias de descarte irregular de produtos químicos, contaminação do solo e possível contaminação de rios e do lençol freático no bairro de Campo Alegre, no município de Nova Iguaçu.

O local se encontra a 3,5 km do rio Guandu, 2,1 km do rio Queimados e 1,5 km do Rio Cabuçu e aparenta ser área de despejo de produtos químicos há um longo período, possuindo uma extensa área de aproximadamente 1,2 hectare de solo contaminado com um produto de aspecto oleoso, denso de coloração escura e odor forte.

Durante a ação, foram feitas imagens aéreas com drone, coleta do material para análise e diálogo com moradores do entorno.