O golpe do FGTS é amplificado via WhatsApp, a mensagem chega de conhecidos ou de grupos, dizendo que as pessoas que trabalharam com carteira assinada entre 1998 e 2016 podem receber até dois salários mínimos.

Quando a pessoa clica no link para fazer a consulta, aparece três perguntas (“Você trabalhou no período entre 1998 a 2016?”, “Você está registrado atualmente?” e “É maior de 18 anos”).

Depois disso a pessoa tem que se cadastrar em serviços de SMS pago e baixar apps falsos, que podem infectar o celular. E para dar credibilidade, na página exibe comentários de falsos usuários elogiando a promoção, com o intuito de validar o golpe, como, por exemplo, “ Eu nem sabia, vi aqui que tenho direito”.

Segundo a empresa de segurança PSafe, há dois dias, cibercriminosos estão o golpe e até o momento, mais de 360 mil pessoas já foram afetadas pelo ataque.

Para não se tornar uma vítima de hackers, o gerente de Segurança da PSafe, Emilio Simoni, reforça a necessidade dos usuários de smartphone consultarem sempre páginas oficiais de empresas para se certificarem que se trata de uma oportunidade verídica.

“O usuário deve estar atento a qualquer tipo de promoções exageradas que chegam por mensagens, checando sempre se a promoção é real ao entrar em contato diretamente com a empresa ou órgão do governo. Além disso, é imprescindível que tenha instalado um software de segurança com a função ‘antiphishing’, como o PSafe DFNDR, pois esse sistema é capaz de analisar todas as ameaças existentes no mundo virtual” finaliza.

E como sempre, deixamos as dicas de sempre ter um antivirus no celular e suspeitar de qualquer oferta mirabolante, mesmo de contato conhecido, assim você não cai em golpes.

Faça o seu comentário