É isso que os pesquisadores da UCL (University College London) são capazes de fazer se quiserem. Os estudiosos conseguiram desenvolver a internet mais rápida do mundo e estabeleceram um novo recorde mundial – a nova velocidade alcançada são de humildes 178 mil Gbps, ou 178 Terabits por segundo.

Pesquisadores da University College London, na Inglaterra, desenvolveram uma técnica que aumenta a capacidade de transmissão de dados em fibra óptica. Para transmitir múltiplos sinais em uma única fibra, são usados vários comprimentos de onda.

A equipe liderada por Lidia Galdino usou uma gama ainda maior de comprimentos de onda para conseguir mais canais de transmissão dentro da fibra. Além disso, o sinal foi otimizado de acordo com as características específicas de cada canal.

Com isso, foi possível conseguir 660 canais e velocidade de transmissão de 178,08 terabits por segundo. O teste foi feito em um loop de fibra de 40 quilômetros de comprimento dentro do laboratório. Essa velocidade é suficiente para transferir o conteúdo de 222 discos Ultra HD Blu-Ray em um segundo. Isso equivale a 4.850 DVDs, já que cada disco desses armazena 100 giga.

A tecnologia não deve chegar aos nossos lares tão cedo, mas pode ser útil na transmissão de dados entre data centers ou na construção das redes de fibra óptica que suportam as redes de dados em 4G ou 5G. E isso beneficia o usuário final.

Fonte: Olhar Digital