Uma dos templos religiosos mais famosos da cidade do Rio de Janeiro, localizada no bairro da Tijuca, a Igreja de São Sebastião do Rio de Janeiro (dos Capuchinhos) tem uma estreita ligação com o marco zero da Cidade Maravilhosa.

Originalmente, a Igreja de São Sebastião do Rio de Janeiro localizava-se no morro do Castelo, um dos locais de constituição da cidade.

Contudo, em 1922, com a demolição do Morro do Castelo, a Igreja de São Sebastião do Rio de Janeiro também acabou posta ao chão.

“No mesmo Morro do Castelo viviam os frades capuchinhos. Com a demolição, eles precisaram ficar em outro lugar e foram para as dependências na Praça Sáenz Peña, na Tijuca”, conta o historiador Maurício Santos.

A nova igreja dos frades capuchinhos ficou pronta em 1931. As obras começaram três anos antes. O projeto, principalmente a parte interior, foi inspirado no Mosteiro de Beuron, na Alemanha.

Entre os anos de 1941 e 1942, a fachada da Igreja foi alterada pelo arquiteto italiano Ricardo Buffa, também autor do altar-mor do templo.

A Igreja de São Sebastião dos Capuchinhos comporta diversos objetos históricos e artísticos importantes. Entre eles, o marco de pedra da fundação da cidade com o escudo português esculpido, a imagem original de São Sebastião da igreja antiga e a lápide tumular de Estácio de Sá, fundador da cidade.

Atualmente, além de suas atividades religiosas, a Igreja dos Capuchinhos conserva seu valor histórico fundamental para a cidade sendo um dos principais locais da festa de São Sebastião, padroeiro da cidade.

Fonte: Diário do Rio

Faça o seu comentário