Moradores de Jacarepaguá, desesperai-vos, de acordo com o jornalista Edimilson Ávila/G1, a Prefeitura do Rio fechará a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá em dias de chuva. A via fará parte de um total de 19 barreiras que a CET-Rio implantará em vias do Rio até o fim do verão e que ainda não foram divulgadas.

O presidente da CET-Rio, Airton Aguiar Ribeiro, a razão é o risco de queda de barreiras, e a Companhia terá motoqueiros que fecharão as cancelas quando o Centro de Operações Rio detectar chance de escorregamentos nas vias.

Vale lembrar que o bispo Marcelo Crivella foi alvo de uma CPI das Enchentes na Câmara dos Vereadores, que terminou com o pedido de indiciamento dele e outros integrantes da Prefeitura do Rio pela falta de investimentos no controle das enchentes. E também houve uma grande redução dos programas e prevenção a chuva,  de 2013 a 2016, o patamar histórico de recursos para o programa de proteção de encostas era de R$ 70 milhões por ano; em 2017, o valor caiu para R$ 30 milhões e, até junho deste ano, foram totalizados R$ 10 milhões. Para controle de enchentes, o patamar passou de R$ 150 milhões para R$ 87 milhões em 2018; no sistema de manutenção da drenagem, os valores registrados acima de R$ 40 milhões hoje estão inferiores a R$ 30 milhões.

Entre as mais de cem recomendações que compõem o relatório, estão: realizar a revisão completa do sistema de alerta e alarme comunitário para chuvas fortes e sua ampliação para as áreas dos maciços da Pedra Branca e do Gericinó; expandir os mapeamentos de riscos geológicos para, no mínimo, todas as áreas de ocupação informal da cidade; criar o programa de agente comunitário de Defesa Civil; criar um plano de ação para emergência com protocolos para integrar órgãos e secretarias; proibir que a verba destinada à prevenção e ajuda às vítimas seja remanejada para outras áreas; e aumentar o valor do aluguel social e ampliar o acesso ao benefício.

Fonte: Diário do Rio

Faça o seu comentário