Nesta segunda-feira (24), mais quatro casos de estelionato a partir de clonagem do aplicativo foram registrados.

Na semana passada, o G1 informou que um médico e um administrador de empresas caíram no golpe – cada um perdeu R$ 3 mil. No total, já são R$ 8 mil em prejuízos financeiros às vítimas.

No caso mais recente, que resultou no prejuízo de R$ 2 mil, a vítima, uma mulher de 24 anos, contou que recebeu uma mensagem – via aplicativo de conversas por celular – de uma amiga, pedindo um depósito na conta de um tio.

Essa amiga, ainda segundo os registros policiais e o relato da vítima, não estaria conseguindo fazer o depósito pelo aplicativo do banco em seu aparelho celular.

A vítima, então, depositou o dinheiro.

Posteriormente, a mulher constatou que a amiga não havia feito pedido algum, contando que teve o WhatsApp clonado, e que alguém estaria solicitando de forma indevida, dinheiro em nome dela.

A jovem tentou cancelar a transação bancária, mas verificou que o valor já havia sido sacado.

Nos outros três casos recentes as pessoas informaram apenas que tiveram o WhatsApp clonado, mas que nenhum de seus contatos efetuaram depósitos em dinheiro.

Na Delegacia Participativa da Polícia Civil, as ocorrências foram registrados nesta segunda-feira (24) como estelionato e invasão a dispositivo informático.

Como funciona

Segundo os registros feitos na polícia, o estelionato ocorre da seguinte forma. Os criminosos clonam um WhatsApp – após o envio de um código via SMS – e passam a pedir dinheiro a todos os contatos da agenda, indicando agência, número da conta e o nome de um terceiro.

Geralmente, uma pessoa muito próxima e de extrema confiança da pessoa que teve o celular clonado acaba fazendo o depósito, pensando que a solicitação do pedido é verídica.

A pessoa que teve o celular clonado fica alguns minutos – ou horas – sem acesso ao aplicativo. E por isso, não consegue avisar aos contatos da sua agenda telefônica que foi vítima de uma fraude.

Obs. Se acontecer de alguem pedir dinheiro a você, ligue para a pessoa e veja a veracidade, não caia no golpe> Seropédica online

Faça o seu comentário