Jaqueline Rose, de 40 anos, sumiu após sair de casa em Campo Grande

Familiares e amigos fazem buscas desde o dia 18 de julho, para encontrar o paradeiro da servidora do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Janeiro (TJRJ) Jaqueline Rose da Silva Ribeiro, de 40 anos, que desapareceu após sair de casa, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, na manhã do último domingo. Ela usava um vestido de cor clara e portava apenas a identidade e o aparelho celular, que foi desligado.
 
Jaqueline foi vista, pela última vez, embarcando em um carro de aplicativo, em frente de casa, conforme imagens de circuito de câmeras de um condomínio residencial. Segundo a família, a empresa informou que a servidora teria solicitado viagem para Seropédica, na Região Metropolitana. Familiares realizaram buscas no município, mas ainda não encontraram a funcionária pública, que trabalha na 7ª Vara Cível do Tribunal Regional, em Campo Grande.
 
De acordo com familiares, Jaqueline foi mãe, pela segunda vez, há cerca de 40 dias e pode estar sofrendo um quadro de depressão pós-parto. A servidora nunca havia saído de casa sem avisar, tampouco demonstrou mudança de comportamento. A demora no retorno e a falta de contato levaram a família a registrar o caso na 35ª DP (Campo Grande). Agentes do TJRJ também foram mobilizados e realizam buscas na região.
 
Acreditamos que ela possa estar em surto devido ao quadro da depressão pós-parto. Pedimos às pessoas, que porventura avistarem alguém com a mesma característica, avisem à polícia ou a família”, disse, emocionado, o marido, Diego Souza Ribeiro, de 33 anos, que também é servidor público.
 
Informações sobre o paradeiro da servidora pública Jaqueline Rose podem ser repassadas aos telefones do Disque-Denúncia (2253-1177) ou para a 35ª DP (2332-7670), com total sigilo e garantia do anonimato.