O estudo relacionou profissões com aumento na procura até o ano de 2020

As mudanças aceleradas do mercado de trabalho são um problema para a escolha do caminho profissional. Afinal, muitas profissões oscilam, algumas ficam em alta, outras em baixa, e há até mesmo aquelas que desaparecem. Como saber se o curso escolhido vai proporcionar, ao final, boas possibilidades de emprego?

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) fez pesquisa que aponta os rumos do trabalho e pode revelar quais profissionais continuarão a ser contratados nos próximos anos. Dados foram tabulados a partir das respostas de mais de 400 empresas, representando mais de 2,2 milhões de empregados dos setores de Recursos Humanos e operacional, divididos nas áreas de gestão e de produção.

O estudo relacionou profissões com aumento na procura até o ano de 2020. Faltam apenas dois anos para chegarmos até lá. Mas diante de tantas variações de mercado, difícil fazer previsões mais longas. São elas: Supervisores de Produção em Indústrias de transformação de plástico; Engenheiros de Petróleo; Técnicos em Sistemas de Informação; Trabalhadores de tratamento de superfícies de metais e de compósitos; Engenheiros de mobilidade; Técnicos em mecatrônica; Biotecnologistas; Engenheiros ambientais e sanitários e Desenhistas técnicos em eletricidade, eletrônica e eletromecânica.

 

A pesquisa da Firjan reforça o que as pessoas já sabem, mas nunca é demais destacar: para entrar e se manter competitivo no mercado, ter uma boa formação é fundamental, independentemente do cargo pretendido.

Para almejar uma vaga na área de produção, será muito difícil conseguir um bom emprego sem ao menos ter passado por um curso técnico. Na área de gestão, é fundamental ter nível superior. Em ambos os casos, para assumir cargos de gerência e diretoria o candidato deverá ter ao menos uma pós-graduação.

CARREIRAS EM ALTA ATÉ 2020 (3)

Entre as melhores profissões, cinco são de nível superior (Engenheiros de Petróleo, Mobilidade, Ambientais e Sanitários, Técnicos em Sistemas de Informação, Biotecnologistas), duas de nível médio/técnico (Técnicos em Mecatrônica e Desenhistas Técnicos em Eletricidade, Eletrônica e Eletromecânica) e duas para profissionais com nível básico (Produção em Indústrias de transformação de plástico, Tratamento de superfícies de metais e de compósitos).

APOIO PARA O ENEM

Cerca de 400 estudantes participaram da aula inaugural do projeto ‘Preparatório Social Monteiro Lobato’, que oferece, gratuitamente, os cursos de Pré-Vestibular e Pré-Técnico para quem pretende fazer o Enem e concorrer às vagas em universidades públicas, mas que não possui condições financeiras para investir na preparação. Promovido pela Prefeitura de Nova Iguaçu, por meio da Secretaria de Educação, os cursos serão realizados sempre aos sábados.

1. Cientista de dados: o cientista de dados pode tornar mais eficientes ou rentáveis os processos realizados pela empresa.

O que faz: se utiliza da análise de dados, do conhecimento de software, da gestão comercial e das noções de estatística e matemática para reunir a maior quantidade possível de informações de big data disponíveis na rede para pensar em soluções e aprimoramentos em empresas, produtos e cadeias de distribuição.

Formação: Tecnologia da Informação, Matemática, Estatística, Análise de Negócios ou Engenharia.

 

2. Estatístico: o profissional desta área é responsável por comandar e manter a eficiência dos processos internos e buscar padrões que tornem mais racionais as açoes da empresa.

O que faz: utiliza teorias matemáticas para determinar a frequência e a ocorrência de eventos anteriores e prever novos movimentos. Seu trabalho inclui coleta, organização, descrição, análise e interpretação de dados.

Formação: Estatística ou Matemática.

 

3. Gerontologia e Geriatria: segundo dado divulgado pelo IGBE, a população idosa brasileira vai triplicar entre 2010 e 2050, por isso a procura por profissionais que atendam essa área é grande.

O que faz: geriatria é a área da saúde que cuida da prevenção e do tratamento de doenças, da reabilitação funcional e dos cuidados paliativos de idosos, enquanto a gerontologia se debruça sobre o estudo do envelhecimento.

Formação: Medicina, Psicologia, Serviço Social, Nutrição, Terapia Ocupacional e Direito.

 

4. Gerente Comercial: a crise econômica vem exigindo cada vez mais profissionais competentes que mantenham segura a área de comércio e vendas das empresas.

O que faz: gerencia diretrizes e define estratégias para comercialização de produtos e serviços.

Formação: Administração, Economia, Marketing ou Engenharia.

 
5. Desenvolvedor de aplicativos e engenheiro de software: com o aumento no uso de smartphones as empresas vem investindo na criação de aplicativos e softwares para atender esta demanda.

O que faz: cria, desenvolve e aprimora softwares e aplicativos de celular.

Formação: Ciências da Computação.

 
6. Biotecnológo: o profissional da área pode auxiliar o mercado através do conhecimento específico para lidar com o desenvolvimento de produtos alimentícios e controle de pragas em plantações ou até mesmo fabricação de medicamentos.

O que faz: manipula agentes biológicos para obter bens ou fornecer serviços.

Formação: Biotecnologia, Engenharia Biotecnológica, Ciências Biológicas ou Biomédicas. Graduados em Medicina, Biologia e Agricultura.

7. Controlador financeiro: um profissional nesta área é essencial para uma empresa em tempos de crise, com a economia em crise um controlador financeiro pode evitar que a empresa entre em problemas econômicos.

O que faz: é responsável por monitorar e controlar as atividades financeiras de determinada empresa.

Formação: é recomendável formação em áreas como Administração ou Economia.

8. Marketing digital: um trabalho bem feito na manutenção da imagem e do ambiente digital de uma empresa vem sendo o diferencial no mercado

O que faz: atua com a imagem da empresa ou do produto, buscando atrair novos negócios, criar relacionamentos e desenvolver uma identidade de marca.

Formação: Marketing, Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda fornecem habilidades necessárias para exercer a função.

9. Gestor de cadeia logística e supply chain: com a crise financeira, as empresas buscam por profissionais que tornem mais ágil, barato e eficiente a cadeia produtiva.

O que faz: comanda o processo logístico da empresa.

Formação: Logística, podendo empregar profissionais da área de Engenharia, Administração e Gestão.

 

10. Técnico em drone: os drones vem sendo utilizados em áreas diversas, do Jornalismo ao Agronegócio.

O que faz: controla e comanda drones ou aparelhos com tecnologia semelhante.

Formação: não há formação específica, mas são necessários treinamentos e em algumas empresas a autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).