O feriado prolongado de 7 de Setembro, aliado ao tempo bom e ensolarado, lotou as praias da zona sul do Rio de Janeiro e movimentou o setor hoteleiro, que foi um dos mais afetados desde o início da pandemia na cidade.
Neste domingo (6), as areias de Ipanema e Copacabana e do Aterro do Flamengo receberam milhares de banhistas, entre cariocas e turistas, provocando aglomeração e desrespeitando uma das regras de ouro da prevenção à pandemia de covid-19.

Enquanto nos calçadões era grande o número de pessoas fazendo o uso de máscaras, nas areias era raro quem estava usando o equipamento de proteção facial. Os banhistas ficavam na areia e usavam guarda-sóis e cadeiras de praia, que não estão liberados pela prefeitura do Rio. O decreto do prefeito Marcelo Crivella autoriza apenas o banho de mar, e não a permanência na areia.

O grande fluxo de visitantes por conta do feriadão da Independência ajudou a movimentar os hotéis, principalmente os localizados na zona sul. Segundo o Sindicato dos Meios de Hospedagem do Município do Rio de Janeiro (Hotéis Rio), a média de ocupação está em 46%.

As regiões de Ipanema-Leblon e Leme-Copacabana estão em média com 59% de ocupação. Em seguida, aparecem as regiões de Flamengo e Botafogo, com 42%, do centro, com 33%, e a da Barra da Tijuca e São Conrado, com 31%.

Faça o seu comentário