Boatos me levaram a colocar na opinião pública sobre a eliminação de cães e gatos que andam abandonados nas ruas de Paracambi RJ. Será que matando os animais de rua resolve o problema? Ou será um meio covarde de tirar a vida do animal sem defesa, porque os gestores do município não sabem solucionar o problema?

Dados da Organização Mundial da Saúde informam que, para o controle da raiva, a captura e eliminação de animais são medidas paliativas, uma vez que animais já imunizados também são mortos, impedindo dessa maneira a manutenção de uma barreira natural de proteção. Países com a presença de raiva canina implantaram programas de controle da natalidade de animais de rua, fazendo a remoção para a realização da cirurgia de esterilização, vacinação antirrábica e a reintrodução desses animais nas áreas de captura.

“Não seria mais fácil fazer campanhas de castração, criar leis no município e programas de conscientização para proteção dos animais?”

Em 1970 a política de eliminação sistemática começou a ser questionada no Brasil, e houve uma mudança de mentalidade em favor da manutenção da vida dos animais. Em alguns municípios foram criado leis para castração gratuita, com isso a redução de animais de rua diminuiu significativamente e diminuindo o gasto das prefeituras na saúde da população e na alimentação destes animais.

Sugestão: No município de Seropédica existe a Universidade federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), que tem projetos já prontos que poderiam ajudar a resolver este problema. A meu ver existe uma solução melhor do que matar animais que precisam de políticas públicas serias e não um modo cômodo de resolver este problema.

Luiz Calderini

 

Faça o seu comentário