Inquérito investiga suposta participação do governador em irregularidades na compra de respiradores e na implantação de hospitais de campanha

O Jornal da Record teve acesso a um documento do Superior Tribunal de Justiça que indica que o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, comandava uma suposta estrutura com fortes indícios de fraude na saúde pública durante a pandemia. O processo de impeachment contra Witzel está em curso.
 
A sessão desta quarta-feira (15) da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro foi a terceira das dez realizadas para que o governador Wilson Witzel se defenda no processo de impeachment.

Witzel também responde pelas suspeitas de corrupção na Justiça.

O inquérito no STJ investiga a suposta participação de Witzel em irregularidades na compra de respiradores e na implantação de hospitais de campanha. A investigação apura também possíveis ilegalidades, envolvendo empresários e ex-secretários de estado. Diversos delitos podem ter sido praticados de forma sofisticada para parecerem atos legais de interesse público.

Em um dos trechos do documento a que o Jornal da Record teve acesso, o ministro João Otávio Noronha ressalta que as provas coletadas, até o momento, indicam que dentro do poder executivo do estado do Rio de Janeiro foi criada uma estrutura hierárquica a partir do governador, que permitiu contratações com fortes indícios de fraudes na saúde pública.

Em nota, Wilson Witzel afirmou que assim que surgiram as primeiras denúncias determinou quebra de sigilo dos contratos e abriu sindicância para apurar o ocorrido.

Fonte: R7

Faça o seu comentário