Objetivo é implantar no país da África Central um sistema educacional com base no modelo de qualificação profissional brasileiro

A diretora de educação profissional do Ministério de Camarões, Sophie Magloire Diamant, ao lado do Diplomata da Embaixada da República de Camarões no Brasil, Serge Amouga, visitou, entre os dias 28 e 30 de maio, as instalações das unidades do SENAI Rio, com o objetivo de buscar referências para a construção de um sistema educacional para o país da África Central. A intensão é desenvolver um modelo que atenda às necessidades do mercado de trabalho local com base na metodologia brasileira.

Procurada pelo governo camaronês para estruturar o projeto, a CNI (Confederação Nacional da Indústria) escolheu o SENAI Rio para ser o representante brasileiro na iniciativa. Na ocasião, Sophie e Serge visitaram as unidades em Itaguaí, Duque de Caxias e Volta Redonda, escolhidas entre as 28 escolas do SENAI no estado por possuírem características semelhantes ao modelo que o governo de Camarões pretende implantar no país.

Também em Caxias, eles conheceram as instalações da empresa Cadore, que é parceira do SENAI Rio na capacitação de seus colaboradores. De acordo com o gerente de Educação Profissional do SENAI Rio, Edson Melo, trata-se de um projeto amplo com várias etapas, visando contribuir para o desenvolvimento da formação profissional de Camarões. Uma oportunidade de Camarões ter sua própria metodologia de educação profissional, visto a diversidade de metodologias de outros países já aplicadas, dentre eles, Suécia, Alemanha, França, Turquia e Coréia.

“Com a parceria firmada, nós, do SENAI Rio, além de formar profissionais, vamos auxiliá-los na construção e estruturação de um Centro Educacional desde a capacitação das equipes técnicas-pedagógicas, até a condução de grupos de trabalhos para definição de perfis profissionais e planos de curso. Vamos, inclusive, preparar gestores e equipes administrativas, bem como monitorar e avaliar o projeto”, detalha.

Sophie Diamant ressaltou que, com a visita, pode constatar que no Brasil a Parceria Público Privada (PPP) funciona, e que as escolas do SENAI têm grande apoio das empresas. “Volto ao meu país com ótimas impressões e farei um relatório positivo para meus superiores. Com o que pude conhecer, vai me permitir dar a eles um conforto no que tange o nosso posicionamento educacional. Acredito que o Brasil seja um aliado seguro com o qual podemos realmente fortalecer parcerias”, disse.

Serge Amouga, que sugeriu ao governo de Camarões, por meio da embaixada no Brasil, que fosse feita uma cooperação ou parceria com o SENAI, contou que o ponta pé inicial se deu em 2016, quando, ao apresentar a expertise do SENAI ao Ministério de formação profissional, Sophie visitou o Brasil. Já em 2017, foi a vez da CNI e do SENAI visitarem Camarões. “Nós, da embaixada de Camarões, em Brasília, sabemos o que o SENAI representa, e sabemos que é de grande importância que essa cooperação se inicie e renda bons frutos”, acrescenta.