A maioria das mortes ocorreu em Santa Catarina, estado mais afetado pelo fenômeno climático

Ao menos 10 pessoas morreram durante a passagem do ciclone bomba na região Sul do país nesta terça-feira, 30. A maioria das mortes ocorrem em Santa Catarina, estado mais afetado pelo fenômeno climático.

O fenômeno é uma espécie de ciclone extratropical —formado em latitudes médias, distante dos trópicos—, mas ainda mais intenso.

ciclone bomba

Crédito: Reprodução de satélite mostra o ciclone bomba sobre o litoral do Sul do país

De acordo com a Celesc (companhia de energia de SC), quase 700 mil imóveis permanecem sem luz no estado.

Durante a madrugada desta quarta-feira, 1, os ventos chegaram a 90 km/h.

Ciclone bomba: mortes e estragos em SC

Santa Catarina foi o Estado mais atingido pelo ciclone bomba. Além dos estragos causados pela passagem do fenômeno climático, nove pessoas morreram.

ciclone bomba

Internautas compartilharam fotos e vídeos da ventania em Santa Catarina
 

De acordo com a Defesa Civil, uma morte foi registrada em Itaiópolis, no norte do estado, uma em Rio dos Cedros e uma em Ilhota, no Vale do Itajaí. Outras cinco ocorreram na Grande Florianópolis: três em Tijucas, uma em Santo Amaro da Imperatriz e uma em Governador Celso Ramos.

No Oeste catarinense, uma mulher morreu em Chapecó. E ainda são realizadas buscas a uma pessoa em Brusque,

No Rio Grande do Sul, a Defesa Civil informou que mais de 300 casas foram destelhadas, a queda de árvores também bloqueou ruas e rodovias em diversos pontos do estado. Um homem morreu soterrado em Nova Prata, na Serra Gaúcha.

Ventania

As fortes rajadas de vento causadas pelo ciclone bomba devem continuar nesta quarta-feira. Em algumas regiões do Rio Grande do Sul e Santa Catarina elas podem chegar a 130 km/h, de acordo com a MetSul Meteorologia.

Os reflexos do ciclone bomba também são sentidos em São Paulo e Rio de Janeiro, porém, com menor intensidade.

Em Peruíbe, no litoral sul de São Paulo, os ventos ultrapassaram os 90 km/h e afundaram cerca de nove barcos, segundo a Defesa Civil.

Nas demais cidades da Baixada Santista, ocorreram registro de queda de árvores e alagamentos em avenidas próximas à orla.

Na capital, as rajadas de vento que superaram os 60 k,m/h durante a madrugada. A ventania deve prosseguir ao longo desta quarta-feira.

De acordo com César Soares, meteorologista da Climatempo, São Paulo pode ter rajadas em torno dos 80 km/h ao longo dia. As temperaturas também devem cair com a chegada da frente fria.

O ciclone bomba também provocou ventania no Rio de Janeiro causando a queda de árvores. A previsão é que o fenômeno cause ventos de até 76 km/h na capital fluminense e ressaca com ondas que devem atingir os 3,5 metros, segundo o Centro de Operações Rio.

Veja abaixo vídeos do ciclone bomba que atingiu Santa Catarina nesta terça-feira.

 

 

Faça o seu comentário