Vai fazer oito anos que teve início o Aterro Sanitário em Seropédica, com a promessa que seria seguro de acidentes ambientais.

O Aterro teve início em 20 de abril de 2011, de lá para cá vários crimes ambientais foram registrados, dentre eles vazamento de chorume que contaminou o solo, riachos e valas. caminhões que transportam lixo sem proteção para conter o chorume que escorre pelas ruas aonde passam, além de moscas, ratos e cheiro insuportável que chega a quilômetros, atingindo municípios de Itaguaí e Seropédica.

O pior de tudo é que o INEA (Instituto Estadual do Ambiente) aprovou colocar um LIXÃO em cima do Aquífero Piranema, um dos maiores mananciais de água potável do Brasil, apesar de órgãos como a UFRRJ provarem que o local de destino do LIXO poderia acontecer uma catástrofe sem tamanho.

A poucos meses, funcionários da CTR avisaram que poderiam entrar em greve pelos salários atrasados, com isso o tratamento de chorume transbordaria contaminando o solo, rios e córregos. Um dos principais rios a ser contaminado seria o Guandu, prejudicando o abastecimento de água do Rio de Janeiro. Atualmente o Município do Rio de Janeiro deve a CTR 70 milhões podendo ocasionar uma greve de funcionários.

Que negociação, foi feita para colocarem o LIXÃO em cima de um Aquífero? Ou foi burrice mesmo? Será que não pensaram em greve de funcionários, quebra de equipamentos, falta de energia, alguma furação, enchente etc, pudesse causar uma catástrofe?

Vale lembrar se houver a impossibilidade de continuar tirando água do Rio Guandu, o único local que tem água suficiente para abastecer o Rio de Janeiro é esse Aquífero. O Rio Guandu todos os dias recebe milhões de litros de esgoto podendo virar um Rio Tiete. Alguma coisa tem de ser feita com Urgência.

 

 

 

Faça o seu comentário