Membro da considerada geração do milênio, o jovem, que faleceu aos 15 anos, foi beatificado na histórica cidade de Assis

Com apenas 15 anos de idade, Carlo Acutis faleceu em um hospital em Monza, na Itália, em 2006. Tornou-se, desde então, um exemplo de santidade contemporânea. E neste sábado, 10, na Basílica de São Francisco, em Assis, na Itália, Carlo entrou para o panteão de beatos da Igreja Católica.

A celebração teve início com um breve histórico de Carlo, sobre a espiritualidade sensível do jovem e de sua devoção a Nossa Senhora. A mãe e os irmãos do venerável Servo de Deus também participaram da missa.

Uma carta do Papa Francisco foi lida aos presentes pelo cardeal Agostino Vallini — que também presidiu a missa. O Santo Padre oficializou a beatificação de Carlo por meio de uma carta lida pelo cardeal. “Ele tinha o dom de atrair e era visto como exemplo”, exortou o cardeal. “Desde jovem, sentia a necessidade da fé e tinha o olhar voltado para Jesus. O amor pela eucaristia sustentava e mantinha viva sua relação com Deus. ‘A eucaristia é a minha estrada para o céu’, já dizia o jovem Carlo”, reiterou o religioso. 

O cardeal também reforçou o caráter evangelizador presente na personalidade de Carlo, algo que o tornava único. “Jesus era, para ele, amigo, salvador, mestre. O propósito de tudo que fazia. Estava convencido que para se fazer o bem era preciso obter a energia do Senhor. Com este espírito, era muito devoto de Nossa Senhora. Queria atrair a Jesus o maior número de pessoas, anunciando o Evangelho”, enalteceu o cardeal Vallini.

Carlo era um prodígio em se tratando de tecnologia. Via a internet como um meio de tocar o coração das pessoas pelo Evangelho. “Extraordinário, de fato, era sua capacidade de testemunhar, mesmo às custas de enfrentar obstáculos e até zombarias. Considerava a internet um dom de Deus e um instrumento importante para se divulgar a Palavra de Deus. Não era apenas um espaço de evasão, mas que deveria ser usado com responsabilidade”, enalteceu o cardeal.  

Nossa Senhora

O menino tinha um amor e uma devoção especial a Nossa Senhora. “Consagrou-se a Maria e pedia sua proteção. Coração e missão, portanto. Esses são os dois traços da fé heroica do beato Carlo Acutis, que no decorrer de sua breve vida, levou a confiar-se ao Senhor, especialmente nos momentos mais difíceis”, ponderou o cardeal durante a celebração. 

Tinha uma grande caridade com os pobres, os mais necessitados e todos os marginalizados pela sociedade. “Sempre foi acolhedor com os necessitados, e quando os encontrava a caminho da escola, parava para escutá-los e ouvir seus problemas. E os ajudava na medida do possível. Nunca se voltou para si, mas foi capaz de compreender a necessidade das pessoas em que via a face de Jesus Cristo”, bendisse o cardeal.

“Um jovem do nosso tempo que foi conquistado por Cristo e se tornou um farol para aqueles que querem conhecê-Lo. Ele nos ensinou que a fé não nos afasta da vida. Atraídos por sua exuberante experiência, para que também a nossa vida possa resplandecer de luz”, finalizou o cardeal Agostino Vallini, expressando a vida do jovem que agora será imortalizado pela Igreja. 

Canção Nova