O período chuvoso faz aumentar, em muitas partes do Brasil, a incidência de caramujos africanos. O caramujo chegou ao país na década de 80, como alternativa para o comércio do escargot. Mas, como não foram bem aceitos pela culinária brasileira, foram descartados na natureza de maneira inadequada, sem que houvesse um predador para eles.

Agora, a espécie é considerada um problema de saúde, já que os moluscos são vetores para várias doenças – a mais perigosa é a meningite eosinofílica. Eles podem se alimentar de fezes, especialmente as de ratos. Se contaminadas, o caramujo torna-se um perigoso hospedeiro e pode transmitir doenças por meio do muco expelido por ele ao se locomover.

Fonte: TV Brasil

Faça o seu comentário