Um vazamento de chorume que aconteceu em fevereiro de 2016 pode ter contaminado o Aquífero Piranema, um dos maiores do Brasil. A pergunta que não quer calar, quantos outros vazamentos aconteceram e passou despercebido?

Está contaminação de 2016 foi descoberta por acaso por moradores da região, o chorume vazou e contaminou o riacho que corta o local. Até hoje moradores falam que o cheiro é insuportável, e demonstra que alguma coisa muito errada está acontecendo neste aterro. Além do cheiro que chega no centro dos municipios de Seropédica e Itaguaí, moradores da região reclamam sobre a quantidade de moscas e ratos que circulam pelos bairros vizinhos ao aterro.

Não precisa ser técnico para entender que o lixo que é levado para o local, cria reação química, que pode furar o manto impermeabilizante, que foi colocado no solo para receber o lixo por cima do aquífero. Até agora ninguém entende como órgãos de fiscalização do meio ambiente concordaram em autorizar o funcionamento do aterro em cima do Aquífero Piranema. Está reserva de água é estratégica para o Estado do Rio de Janeiro. Se o Rio Guandu ficar inviável de fornecer água para ser tratada pela CEDAE, por causa da contaminação do esgoto jogado pelos municípios que ficam ao seu entorno, a solução seria usar a água do aquífero.

A pouco tempo funcionários que trabalham na CTR, avisaram que entrariam em greve por falta de pagamento. Imediatamente criou-se um alerta de possível vazamento de chorume por causa desta greve. Moradores do município de Seropédica e Itaguaí, pedem que se faça uma CPI para saber por qual motivo foi autorizado a colocação do Aterro Sanitário em Cima do Aquífero Piranema, que a meu ver e de Ambientalistas da UFRRJ, isso identifica Crime Ambiental.

Chorume que vazou em 2016

 

Faça o seu comentário