Hoje comemoramos o Dia da Água, essa data busca conscientização a respeito da importância da água para os seres vivos. O Dia Mundial da Água é comemorado todos os anos no dia 22 de março. A data foi sugerida na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, de 1992, e passou a ser comemorada em 1993.

Infelizmente a política podre do Estado do Rio de Janeiro, liberou a instalação de um aterro sanitário em cima de um dos maiores aquíferos do Brasil, com reserva de água subterrânea com capacidade de abastecer a população carioca, em caso de necessidade. A liberação da instalação da CTR, foi um dos maiores crimes contra o meio ambiente realizado no estado do Rio de Janeiro.

Manifestações foram realizadas para evitar este crime, pela população de Seropédica e por alguns ambientalistas. Alguns acidentes já aconteceram na CTR: “Deposito de lixo em local sem o lençol de borracha, vazamento de chorume que contaminou o riacho, transporte de lixo com caminhões jogando chorume por onde passa”. 

Como podemos comemorar o Dia da Água em Seropédica? A Secretaria de Ambiente e Agronegócios de Seropédica tem feito constantemente fiscalização nos caminhões que abastecem a CTR de Lixo, e tem encontrado várias irregularidades. A Prefeitura de Seropédica tem atuado a empresa, mas sem apoio de outros órgãos de fiscalização nada vai adiantar.

De acordo com o ambientalista e professor de engenharia sanitária da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) Adacto Ottoni, em 2014, quando ainda integrava a comissão do Conselho de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea), ele enviou um documento para o Instituto Estadual de Ambiente (Inea), ressaltando a importância de monitorar com maior rigor os níveis de poluição do solo e do aquífero.

“Como o aterro tem uma pilha enorme de lixo, pode estar vazando chorume para o ponto branco [área em que a água não recebe influência de agentes externos, como o lixo], que fica antes. Sugeri que eles jogassem o ponto branco para depois do Arco Metropolitano [autoestrada construída no entorno da região metropolitana do Rio], pois ali sim você não teria influência do aterro. Eles o botaram praticamente em cima do lixo”, explica o professor, alegando que esta seria a forma mais correta e precisa de apurar os níveis de contaminação do aquífero.

Em nota, o Inea alegou que a gerência de Licenciamento de Saneamento e Resíduos não recebeu, até o momento, o referido documento. Ainda de acordo com Ottoni, apesar da qualidade boa da água, provavelmente não é mais possível utilizar o aquífero como manancial. “O problema do aquífero Piranema é que ele tem uma qualidade de água boa, mas, infelizmente, é complicado poder usar como manancial, pois tem um aterro de lixo em cima. No meu entender, o licenciamento ambiental não devia ter sido dado”, advertiu o professor, lembrando que o aquífero poderia ser usado como manancial alternativo.

Entre o aquífero e o lixão tem uma manta fina de polietileno. O chorume é liquido ácido que em pouco tempo deve corroer a manta contaminando o aquífero.

Vazamento de chorume
Chorume na época contaminou riacho

 

Faça o seu comentário