Resultado supera em quase 50% o alcançado em todo o ano de 2018

A apreensão de cocaína pela Receita Federal alcançou a marca de 47,1 toneladas no período de janeiro a outubro de 2019. O resultado, que é o recorde histórico da instituição, já supera em quase 50% o alcançado em todo o ano de 2018, quando as apreensões totalizaram 31,5 toneladas.

As principais apreensões neste ano ocorreram nos portos de Santos/SP (18,9 toneladas), Paranaguá-PR (13,5 toneladas), Natal (RN) (4,4 toneladas) e Itajaí (3,7 toneladas) e foram identificadas, em sua maioria, em cargas que seriam exportadas para a Europa e a África.

Para o subsecretário de Administração Aduaneira da Receita Federal, Fausto Vieira Coutinho, o incremento no volume de apreensões de drogas está relacionado ao aperfeiçoamento das técnicas de controle aduaneiro com uso intensivo de gestão de riscos, de ações de inteligência e de integração institucional.

De acordo com o subsecretário, o resultado é fruto do investimento em tecnologia, capacitação dos servidores e utilização do equipamento adequado como scanners, cães de faro e a própria intensificação das operações de vigilância e repressão aduaneira.

Fonte: Receita Federal

Faça o seu comentário