De acordo com o zodíaco chinês, o ano do Galo fica para trás e dá espaço para o ano do Cão

Na última sexta-feira (16), foi comemorado o Ano Novo Chinês, também conhecido como Ano Novo Lunar. O calendário chinês é lunissolar, ou seja, se baseia na posição da Lua em relação ao Sol. Por isso o Ano Novo Lunar, que é celebrado por mais de um bilhão de pessoas no Sudeste da Ásia, cai num dia diferente a cada ano.

O horóscopo chinês é composto por doze animais: Rato, Boi, Tigre, Coelho, Dragão, Serpente, Cavalo, Cabra, Bode, Galo, Macaco, Cão e Porco. Cada animal corresponde a um ano. Este zodíaco considera 2018 o ano do Cão, o que significa que proteção, verdade, justiça e lealdade serão os valores regentes. A comemoração, que dura cerca de 15 dias, é repleta de comidas típicas, fogos de artifícios e lanternas.

Há uma lenda por trás dos costumes dessa festividade. Segundo ela, há muito tempo, um monstro aterrorizava o povo chinês. Todos viviam apavorados até que um sábio espalhou a crença de que haviam 3 coisas que poderiam espantar o monstro: barulhos altos, a cor vermelha e fogo. Assim, o povo, vestido de vermelho, se reuniu para tocar tambores e soltar fogos de artifício, amedrontando o monstro que nunca mais voltou. Essas tradições, repetidas por gerações, servem para espantar os espíritos malignos no ano que se inicia.

Fonte: Veja

Faça o seu comentário