Operação Verão acontece até o fim de fevereiro nos principais acessos às praias

A Operação Verão da Lei Seca, que teve início no dia 4 de janeiro, contabilizou, em duas semanas de atividades, 4.456 motoristas abordados. Destes, 243 estavam embriagados. Além disso, 995 veículos foram multados, 161 foram rebocados e 235 motoristas tiveram as carteiras de habilitação recolhidas.

Este é o quarto ano consecutivo que a Lei Seca faz operações diurnas. A ação reúne as equipes de fiscalização e conscientização nos principais acessos às praias, áreas de lazer e cachoeiras do Estado do Rio de Janeiro e se estenderá até o fim de fevereiro.
 O coronel Marco Andrade, coordenador da Lei Seca, analisa os primeiros resultados.

D.O. Notícias – Como o senhor avalia os primeiros 15 dias?
Coronel Marco Andrade – De uma forma geral, as pessoas têm agradecido a nossa presença na saída das praias: elas dizem que reconhecem a necessidade da Lei Seca. Nas blitzes diurnas, está havendo uma incidência maior de motoristas com algum grau de alcoolemia com relação às operações noturnas, o que mostra que estamos no caminho certo.

D.O. Notícias – Até agora, alguma região específica chamou mais a atenção das equipes?
Andrade – O que nos chamou a atenção foi o índice de motoristas embriagados na Região dos Lagos, em uma época em que, além do verão, há as férias escolares, o que intensifica a dinâmica daquelas cidades.
 

D.O. Notícias – As ações educativas acontecem nos mesmos pontos?
Andrade – Sim. Durante todo o verão, serão promovidas ações educativas para alertar a população sobre os riscos de beber e dirigir. Levamos a mensagem de que se divertir é importante, mas é preciso voltar para casa com segurança.

Edição de matérias sobre Seropédica e atualidades.

Faça o seu comentário